Com stand up pouch, iogurte pode ficar 6h fora da geladeira

A novidade chega aos consumidores do Nordeste com a marca Betânia

 Em embalagem flexível stand up pouch, o iogurte Merendinha, da Betânia, pode permanecer até 6 horas fora da geladeira. Além de praticidade de consumo, as  tampas do modelo Baby Cap, da Gualapack, possuem formato grande e vazado, antiengolimento e antissufocamento, oferecendo segurança ao público-alvo infantil.

De acordo com a marca, o  Merendinha  “consolida no Nordeste o stand up pouch com bico – já aprovado no mercado brasileiro – e traz às famílias nordestinas  conveniência, com a graça e a leveza dos personagens da Turma da Mônica.

Inovação alia proteção de alimento e estética atraente

Stand-up pouch para molhos de tomate ganha formato de vidro hermético

“É preciso ter uma atenção especial aos critérios de conservação. Com o stand-up pouch, conseguimos oferecer funcionalidade e estética atraente”, afirma Antônio Ponce, gerente de Marketing de Shelf Stable da Bemis, ao comentar a nova embalagem da marca Sacciali, da Predilecta Alimento.

Desenvolvida pela Bemis, a embalagem de novos molhos de tomate premium  inova ao simular um vidro hermético, em material que proporciona alta barreira contra a luz e o oxigênio, oferecendo mais proteção e durabilidade para o produto.

“Inovamos em tamanho, com uma opção menor, com 300 gramas. Queremos atender ao nicho de pessoas que moram sozinhas, que têm o gosto pela culinária, mas que muitas vezes deixam de preparar seus pratos prediletos para não desperdiçar”, diz Ponce.

Novas pastas alimentícias têm diferenciais da stand-up pouch

Embalagem protege alimento sem conservantes e oferece praticidade aos consumidores

 A Liv Up, startup  fornecedora de pratos prontos naturais, optou pelas stand-up pouches para embalar o último lançamento da marca,  pastas alimentícias. Ao ingressar em uma nova categoria, a Liv Up segue uma tendência de mercado em relação ao crescimento da presença de embalagens flexíveis nos pontos de venda.

As stand-up pouche vêm conquistando a indústria alimentícia brasileira devido a diferenciais como a garantia de longo prazo de validade dos produtos, já que são compostas por alumínio, praticidade na hora de consumir, facilidade de logística de transporte e ainda por ocupar menos espaço nas gôndolas dos supermercados.

“Vantagem no armazenamento, na exposição no ponto de venda e na cozinha do consumidor das pastas alimentícias”

Em três sabores (amendoim com mel, amêndoas com especiarias e castanha de caju com coco) a pasta alimentícia da Liv UP  é oferecida em bolsas flexíveis de 200 gramas, que têm a conveniência de se manter em pé, dotadas de bico aplicador com tampa.

A solução atende à demanda dos consumidores finais, que buscam mais conveniência ao abrir e refechar a embalagem, e à categoria de alimentos naturais, já que a presença do alumínio das stand-up pouche dispensa o uso de conservantes.

Em pacotes com novo layout, Dadinho mantém embalagem metalizada

 

Inovações buscam ampliar consumidores de doce de amendoim, mas tradição de 65 anos é mantida

Ao completa 65 anos, a Dadinho inova mas mantém a embalagem prata metalizada do tradicional doce de amendoim, lançada pela marca na década de 50. Agora o produto pode ser encontrado nas gôndulas em pacotes com layout que pretende atrair o público jovem, que trazem ilustrações referentes ao mundo dos games, celular, música e TV. A embalagem de linha, que hoje tem 90 gramas, passará a ter outra versão, de 180 gramas.

Há mais de seis décadas, o Dadinho acompanha gerações de consumidores de doces. Lançado em janeiro de 1954, surgiu em homenagem ao aniversário do IV Centenário da cidade de São Paulo. Em formato de dado e feito à base de amendoim, o Dadinho inovou ao lançar a primeira embalagem prata metalizada do país.

“Após a sant-up pouch com zíper, marca inova
para atrair público jovem”

Em 2018, a marca já havia inovado. Ao voltar a adotar o alumínio, para garantir a integridade de um novo produto,  bombom Dadinho, a marca optou pela embalagem stand-up pouch com zíper, trazendo mais praticidade ao consumidor. O alumínio, presente na stand-up pouch, age como barreira contra luz, oxigênio, umidade, odor e impurezas externas, o que evita contaminação e aumenta a vida útil do produto.

A marca vem ampliando sua linha de produtos desde 2017. Entre os lançamentos estão wafer, bombom, wafer clássico e o lanchinho, embalagem com mini Dadinho, o creme Dadinho, entre outros.

Stand-up pouch transforma refrigerante em “raspadinha”

Embalagem produzida com folha de alumínio inova a forma de consumir Coca-Cola no Japão

A embalagem stand-up pouch amplia sua participação no segmento de bebidas. Depois da adoção para o envase de lácteos como o Danoninho, por exemplo, a funcionalidade da folha de  alumínio para o desenvolvimento de novas embalagens agora favorece a inovação no segmento de refrigerantes.

A novidade já está disponível aos consumidores japoneses, que agora podem optar por consumir refrigerante congelado (estilo raspadinha). A bebida  lançada pela Coca-Cola Japão, Coca-Cola Frozen Lemon, é acondicionada em um stand-up pouch com bico, o que permite aos consumidores apertarem a embalagem até chegarem à textura desejada.

img-interna-frozen-coca-cola

O produto também será vendido descongelado, para os consumidores que preferirem congelar e consumir em casa. A empresa também lançou dois sabores de Fanta na mesma embalagem: Fanta Frozen Orange e Fanta Frozen Grape.

Segundo a Coca-Cola, foram desenvolvidos mais de 100 protótipos nos últimos oito anos, até que a empresa chegasse à fórmula considerada ideal para a nova bebida.

Tampas valorizam as stand-up pouche

Soluções inovadores e práticas destacam embalagens flexíveis nos pontos de venda

As stand-up pouche vêm conquistando o mercado brasileiro devido a diferenciais como a garantia de longo prazo de validade dos produtos, já que são compostas por alumínio, praticidade na hora de consumir bebidas e alimentos, facilidade de logística de transporte e ainda por ocupar menos espaço nas gôndolas dos supermercados.

Com crescimento previsto de 6,4% em 2017, apenas na América Latina, as stand-up pouche ganham maior destaque ao receberem variadas tampas que permitem fácil abertura e fechamento, agregando valor aos produtos.

“Essas soluções atendem à demanda dos consumidores finais, de produtos alimentícios em geral, que buscam mais conveniência ao abrir e refechar a embalagem. As tampas, comparadas ao zíper por exemplo, oferecem mais facilidade e qualidade. Elas mudam a percepção do consumidor em relação às stand-up pouche, que muitas vezes é percebida apenas como refil, quando a embalagem não possui tampa”, explica Ana Toledo, gerente de desenvolvimento regional de mercado Food + Beverage da Aptar no Brasil.

img-int-standup-pouch

A Aptar oferece tampas flip-top para stand up pouches como a Quick Flip, tampa de uma peça flip-top para produtos líquidos, pastosos ou secos. E a EZ Pour, de boca larga para produtos secos.

Esses sistemas de dispensadores estarão entre as inovações que a empresa levará à feira Drinktec 2017, em Monique, Alemanha, de 11 a 15 de setembro. Segundo a gerente, serão apresentadas novidades que chegarão em breve ao mercado brasileiro, como “soluções para água mineral de grandes volumes, tampas em peça única e inovações sem partes descartáveis, uma das fortes demandas do mercado de bebidas e alimentos”.

Flexíveis levam a marca da inovação

Stand-up pouch evolui para ampliar propriedade de conveniência das embalagens flexíveis para alimentos

Ao substituir as embalagens rígidas, as flexíveis ganham inovações que reforçam a praticidade dessas embalagens em relação aos dispensadores de alimentos. O que traz à indústria a possibilidade de aperfeiçoar as embalagens stand-up pouch já disponíveis ao consumidor.

Essa evolução pode ser exemplificada pelos incrementos adotados pela Catupiry Alimentos. Depois de adotar a stand-up pouch de 250 gramas, em 2010, para a marca de requeijão na versão culinária, a empresa adotou, em 2015, o mesmo tipo de embalagem na ampliação da linha que passou oferecer ao consumidor quatro sabores: Cheddar, Quatro Queijos, Alho Poró e Tomate Seco.

Neste ano, a linha se consolidou no mercado após com o lançamento da bolsa flexível, que tem a conveniência de se manter em pé, dotada de bico aplicador com tampa. Segundo a empresa, a inclusão desse facilitador, no segundo semestre de 2016, partiu de demandas explicitadas por clientes e de sugestões recebidas por meio do serviço de atendimento ao consumidor.

 

img-interna-mat-catupiryDe acordo com a Catupiry Alimentos, a mudança não exigiu custos adicionais, além dos relativos à inclusão do dispensador, já que os equipamentos para enchimento da embalagem e o material para o armazenamento dos produtos são os mesmos usados na stand-up pouch que inaugurou a linha de requeijão.

A empresa destaca que a novidade foi muito bem recebida pelo varejo e pelo consumidor final, porque a nova embalagem aumentou a percepção de qualidade junto ao público e reforçou a sua funcionalidade para uso culinário.

Cresce demanda por stand-up pouch na América Latina

Pesquisas projetam expectativa de expansão de 9,30% para os próximos quatro anos

Pesquisas apontam crescimento significativo do segmento das embalagens stand-up pouch em toda a América Latina. Segundo levantamentos da empresa Aptar Food + Beverage, multinacional especializada em sistemas de dispensadores de embalagens, especificamente no nicho de alimentos, as projeções de expansão do formato são de 6,4%, (2017); 6%, (2018); 5,5% (2019); e 5%, (2020). No consolidado entre diversas categorias de produtos, dos próximos quatros anos, na comparação com outros modelos, a expectativa de crescimento regional do formato de stand-up pouch é de 9,30%.

De acordo com a empresa, essas projeções incentivam o desenvolvimento de inovações como a tampa Quick Flip, solução de dispensamento para embalagens flexíveis lançada pela da Aptar Food + Beverage. A solução é composta de peça única, o que torna o uso mais conveniente ao consumidor final. A abertura é feita com apenas uma das mãos e o fechamento realizado com único “clique”.

img-interna-tampas

 

“A aplicação de tampa em stand up pouch responde à crescente demanda por conveniência em embalagens. É a evolução das flexíveis que, no Brasil, tiveram muito a posição de refis e agora é uma alternativa prática em substituição a embalagens rígidas. Segundo o Euromonitor, no Brasil, assim como em outros países, há a necessidade latente de re-fechamento das embalagens flexíveis“, explica Paulo Pazinatto, executivo da empresa.

Segundo avaliações de Pazinatto, o diferencial de conveniência atende à demanda por embalagens fáceis e seguras de abrir e refechar para uso posterior. “O consumidor quer manter em sua despensa ou geladeira e levar à mesa uma embalagem bonita, limpa e prática. A solução mais comum de zíperes tem suas deficiências em refechamentos repetitivos”, conclui.

Pesquisa realizada pela Aptar Food + Beverage com usuários brasileiros e mexicanos apontou que a tampa Quick Flip “é mais fácil de abrir”, “é mais segura porque não conta com sobre tampa  destacável”, “não há tampinhas para engasgar”, “é mais conveniente porque pode ser usada apenas com uma das mãos”, “mais higiênica porque não precisa tocar no bico” e “as crianças não usam os dentes para abrir”.

Danoninho em stand-up pouch pode ficar 5 horas fora da geladeira

Segurança e praticidade atendem necessidades de mobilidade dos consumidores mirins

Após dois anos de pesquisa, a Danone lançou o “Danoninho para Levar”. Em embalagem stand-up pouch, produzida pela Embalagens Flexíveis Diadema, o produto pode ficar até cinco horas fora da geladeira. Isso porque contém alumínio que garante proteção contra os efeitos do oxigênio e da luz.

Ao comentar a inovação, Antônio Adão S. Parra, diretor comercial e de suprimentos da Diadema, destacou a importância do desenvolvimento de novas soluções de embalagens. Para o diretor, “elas assumem a função de conquistar a atenção do consumidor e entregar a ele os benefícios e os valores das marcas”.

“Novo Danoninho pode ser levado para a escola e dispensa colher para ser consumido”

 

Além de dispensar refrigeração por longo período, o stand-up pouch é fácil de abrir e não requer colher, basta apertar para verter o conteúdo. “O formato de sache e a durabilidade de cinco horas fora da geladeira permitem que a criança leve para a escola e consiga comer sozinha. Momentos como esse são importantes para o desenvolvimento da autonomia infantil”, explica Andrea Gaeta, diretora de Danoninho no Brasil.

Stand up pouch para baby food garante conveniência e segurança

Stand up pouch com aplicação de bico permite consumo de papinhas diretamente na embalagem

 

Entre as mais recentes inovações de embalagens para alimentos está a versão  stand up pouch com aplicação de bico, que alia portabilidade, possibilidade de consumo direto na embalagem e fechamento após o uso.

A stand up pouch é inquebrável e as linhas baby food com bico  permitem que crianças, a partir de um ano, se alimentem sozinhas, porque as  embalagens não contêm partes engolíveis, segundo Alan Baumgarten, executivo da fabricante Gualapack.

“Presença do alumínio possibilita shelf-life de até um ano fora da geladeira”

Segundo Baumgarten , entre as vantagens estão que o conteúdo pode ser totalmente aproveitado e o alimento está protegido, devido à presença do alumínio. Em aplicações em purês de frutas para crianças, por exemplo, o shelf-life pode chegar, em média, a um ano fora da geladeira.

Ao afirmar que o alimento passa por um processo de pasteurização, o que cria o efeito de esterilização, o executivo ressalta a importância da presença do alumínio. Isso porque o processo de envase é protegido pela embalagem, que  impede o contato com gases ou contaminações externas.

“Com certeza o uso desse tipo de embalagem para alimentos deve crescer. Além do aumento pela procura de embalagens que tenham forte apelo de segurança e conveniência, o mercado brasileiro deve migrar para a stand up pouch categorias pouco valorizadas por conta da ausência de portabilidade, higiene e dificuldade de abertura”, prevê Baumgarten.