Latinha é destaque na estreia de Game of Thrones

Após gelar, latinha branca de refrigerante se transforma e mostra lista de personagens da série

Os potenciais da tecnologia de impressão aplicada na lata de alumínio permitiram que a Montain Dew oferecesse uma embalagem especial aos fãs da série Game of Thrones.

Para marcar a estreia da última temporada, a lata da marca de refrigerantes norte-americana traz a lista de inimigos da personagem Arya Stark, mas de forma inovadora.

A embalagem surpreende o consumidor. Ele leva para casa uma lata totalmente branca, produzida com tinta termocrômica, que após gelar traz a mensagem sobre a série.

Latinha chega ao mercado de vinho

Praticidade da lata de alumínio inova o consumo de três rótulos da Vivant Wines

Os admiradores de vinho ganharam mais praticidade. Agora a bebida pode ser saboreada a qualquer hora e lugar. Isso porque a Vivant Wines  acaba de lançar o primeiro vinho em lata do Brasil. São três rótulos: tinto (Cabernet/ Merlot), branco (Chardonnay) e rosé (Syrah/ Pinot noir).

Depois de muita pesquisa, em parceria com a Vinícola Quinta Don Bonifácio, foi selecionado um blend especial que se adaptasse às latas. As latinhas de 269 mililitros já estão à venda no Rio de Janeiro e devem chegar em breve a São Paulo

A ideia surgiu quando um dos sócios, Leonardo Atherino, se viu em uma situação inusitada em uma festa. “Comprei uma garrafa de vinho e fui curtir a festa. Quando percebi, estava com uma garrafa na mão e uma taça na outra, e tinha que colocar uma das duas no chão para conseguir cumprimentar os amigos”, diz ele.

Vá de Lata completa um ano de atuação no Brasil

Lançado em 2018, movimento incentiva consumo e reciclagem de lata de alumínio para bebidas

Há um ano, o movimento Vá de Lata realiza atividades voltadas ao consumo consciente. Lançada em janeiro de 2018 pela fabricante de latas de alumínio Ball Corporation, a iniciativa prioriza oferecer informação sobre descarte correto, ciclo de reciclagem e a importância da atuação dos catadores de materiais recicláveis como agentes ambientais. Para falar sobre o movimento, o portal Embalagens de Alumínio entrevistou   Thaís Moraes,  gerente de Comunicação e Relacionamento com as Comunidades da Ball Embalagens para Bebidas América do Sul


O Vá de Lata foi formatado especialmente para o Brasil? O que motivou sua criação?
O movimento Vá de Lata busca conscientizar a população sobre as vantagens da embalagem mais sustentável da cadeia de bebidas. O Brasil é o país que mais recicla latas de alumínio no mundo, com um índice de reciclagem de 97,3%. O PET, por exemplo, tem uma taxa de 59%, seguido do vidro, com cerca de 47%. Isso significa que, quando descartada corretamente, a lata retorna às prateleiras em até 60 dias. A latinha acaba por subsidiar a coleta de outros materiais recicláveis, pois, na prática, o valor da sucata do alumínio é 26 vezes maior que o valor da sucata de vidro e 3 vezes maior que o valor pago na sucata de PET.

Além de ser a mais amiga do meio ambiente, ela é também a mais segura, pois não quebra, não fragmenta e protege o sabor da bebida. Por acreditar em um consumo com menos lixo e mais consciência, o movimento Vá de Lata dissemina informação e promove conscientização em seus canais de comunicação e em diversas ações pelo Brasil. Mas o movimento também está presente em outros países da América do Sul, como Chile e Argentina.

Qual a relação entre o aumento de consumo de latas de alumínio para bebidas no Brasil e as vantagens dessa embalagem?
Segundo a ABAL (Associação Brasileira do Alumínio), o consumo anual de latas de alumínio para bebidas chegou a 116 unidades por brasileiro em 2017. Em 2003, este número era apenas de 52,1 latas por brasileiro, ou seja, houve um aumento de cerca de 122% em 14 anos.

A lata de alumínio é a melhor opção de embalagem para bebidas e o consumidor sabe disso. Além das vantagens ambientais citadas acima, no quesito sabor, a latinha também apresenta vantagens. Ela é a embalagem que melhor preserva o sabor original da bebida, pois a protege completamente da ação de raios UV. Essa característica é essencial para a cerveja, por exemplo, que perde suas propriedades se for exposta à luz, o chamado efeito light-struck. A lata ainda é selada internamente por um verniz inodoro que protege a bebida, não permitindo que o líquido entre em contato com o alumínio e sofra qualquer alteração. Ou seja: bebendo na lata, o consumidor experimenta praticamente a mesma bebida do momento do envase, característica que tem atraído muitos cervejeiros artesanais.

Além disso, com a latinha, a cerveja gela mais rápido, atingindo a temperatura ideal cerca de 37 minutos antes da long neck. A praticidade das latas caminha junto com a segurança, já que este tipo de embalagem, diferente do vidro, não quebra e é inviolável, com um sistema de fechamento que protege a bebida, garantindo segurança no transporte e procedência do produto.

Quais as principais ações do Vá de Lata?
Além de manter canais nas redes sociais Facebook e Instagran, com informações diárias sobre consumo consciente, reciclagem, educação ambiental, calendário de eventos nacionais etc, trabalhar junto a influenciadores nas áreas de sustentabilidade, lifestyle e lazer, a #Vadelata aproveita momentos de pico no consumo de bebidas, como o verão, carnaval e copa do mundo para fazer campanhas mais enfáticas.

Em 2018, fez campanhas de conscientização no Carnaval e, durante a Copa do Mundo, quando lançou a ação “Quem torce pelo mundo bebe na latinha”, quando torcedores puderam trocar suas latas usadas por mudas de árvores. Cerca de dez hectares de Mata Atlântica foram reflorestados. E, para o Carnaval deste ano, o Vá de Lata lançou a campanha “Quem curte natureza e diversão, cai na folia de latinha na mão”, com o objetivo de propor uma reflexão sobre escolhas de consumo e mostrar, de forma descontraída, quais são os benefícios da embalagem mais amiga do meio ambiente: a latinha de alumínio.

As ações da campanha começaram desde o Réveillon, quando os influenciadores Thaynara OG, Foquinha e Marcos Veras receberam latinhas de presente, as descartaram corretamente e as reencontraram recicladas exatamente 60 dias depois, durante o Carnaval. O movimento Vá de Lata esteve presente nos maiores carnavais do Brasil, fazendo a gestão de resíduos recicláveis da Sapucaí (RJ), agitando o bloco Galo da Madrugada (PE) e o Bloco Du Brasil, com Carlinhos Brown e Timbalada (SP).

Também foi lançada uma sequência de dois vídeos  gravados com o Porta dos Fundos, para provar que é possível falar de sustentabilidade de uma forma leve e divertida.

Qual a participação das indústrias de bebidas?
O movimento Vá de Lata vem se popularizando cada vez mais na indústria, por meio de parcerias com clientes em suas ativações de marca, contato com influenciadores e lançamento de novos produtos. O nicho de craft beer, por exemplo, vem crescendo ano a ano e migrando cada vez mais para a lata devido às vantagens desta embalagem e às mudanças no perfil do consumidor moderno. Inclusive a Ball lançou recentemente o modelo X-Sleek 410ml, diferente de todos os padrões já existentes no mercado mundial. A novidade foi elaborada com exclusividade para a cerveja Colorado, que passou a ser comercializada também em latas de alumínio.

Inovação potencializa sustentabilidade da latinha de alumínio

Cervejaria dinamarquesa substitui teia de plástico por cola especial para agrupar latas comercializadas na Europa

Mais uma inovação em embalagem promete potencializar as vantagens das latas de alumínio para bebidas em relação à reciclagem. Além de usar as latinhas 100% recicláveis, a cervejaria dinamarquesa Carlsberg adota uma  nova forma de comercializar a bebida, numa tentativa de reduzir até 76% o plástico utilizado nas embalagens.

Para isso, a Carlsberg substituiu as embalagens de plástico por uma cola especial que dispensa a tradicional teia de plástico utilizada para reunir as latinhas que são vendidas em conjunto.

Segundo a empresa, a cola perde sua propriedade adesiva depois que as latas são separadas e o produto não grude na mão. As seis latinhas grudadas ainda têm uma pequena alça de plástico, para facilitar o transporte.

A nova embalagem,  chamada Snap Pack, foi lançada no Reino Unido e na Noruega e deve achegar a outros países onde a cerveja Carlsberg é distribuída.

Cervejaria Argentina traz bebida em lata ao Brasil

 

Patagonia inova com embalagem de alumínio que vai dividir as gôndolas com as cervejas em garrafas da marca

Os consumidores brasileiros ganham mais uma opção de cerveja em lata. A cervejaria  Patagonia traz ao Brasil a Amber Lager  em embalagem de alumínio. Até então, a marca argentina apenas comercializava no País cervejas em garrafas.

A primeira receita da marca, feita com lúpulos plantados e colhidos em sua fazenda localizada em Fernandez Oro, na Patagônia Argentina, foi a escolhida para disponibilizar a novidade em lata de 473 mililitros .

Onde descartar latinhas e embalagens longa vida?

Aplicativo para celular indica postos de coleta e cooperativas de reciclagem em todo o País

As latinhas de bebidas,  as descartáveis de alumínio e as cartonadas assépticas (longa vida) são 100% recicláveis. Mas como localizar os locais adequados para descartar essas embalagens para que realmente sejam reaproveitadas?

logo-RotaReciclagemHá 10 anos, a Tetra Pak, fabricante de caixinhas longa vida, oferece um  serviço aos consumidores que facilita a busca de  postos de coleta e cooperativas em todo o Brasil: a plataforma Rota da Reciclagem.

Este ano a Rota da Reciclagem ganhou a atendente virtual “Flora”, uma tecnologia desenvolvida para o aplicativo Messenger para celular, do Facebook, tornando a  busca ainda mais simples.

O consumidor só precisa abrir o aplicativo e procurar o Rota da Reciclagem. A partir daí a atendente virtual interage com o usuário, que deve compartilhar a sua localização e responder às perguntas formuladas, como por exemplo informar se pretende vender ou doar os seus materiais recicláveis.

Campeãs de reciclagem

No Brasil, em cerca de 30 dias, uma latinha de alumínio pode ser comprada no supermercado, utilizada, coletada, reciclada e voltar às prateleiras para o consumo. Há anos o Brasil destaca-se como líder mundial.

Mas o que faz da latinha de alumínio para bebidas ser a campeã em reciclagem? Vários fatores. Entre eles estão facilidade de coleta, transporte e venda, o alto valor da sucata de alumínio e a grande disponibilidade das latas de alumínio.

Longa vida para as cartonadas

O processo de reciclagem das cartonadas assépticas, conhecidas por longa vida, não produz matéria-prima para a produção de novas embalagens, como acontece com as latinhas. Mas o material reciclado é utilizado para produzir, por exemplo, telhas e paletes de plástico reciclado.

 

Uma garrafa que “abre como latinha”

Nova embalagem traz a praticidade do anel de alumínio aos consumidores de cerveja long neck

As latinhas de alumínio para bebidas e as embalagens de alimentos  com  tampa easy open,  que oferecem praticidade ao consumidor, estão fazendo do abridor de latas um utensílio em extinção. Isso porque o anel de alumínio permite uma abertura suave, evita acidentes e tem resistência à corrosão.

Essa mesma facilidade chega para os consumidores de cerveja em garrafa. A Skol reformulou as suas embalagens de vidro long neck,  e agora todas elas terão uma tampa com anel de alumínio, a pull off. Ou seja, são abertas como as latinhas.

Long neck mais fácil de abrir, graças ao anel de alumínio

“Essa embalagem mostra o que a Skol tem de melhor, um líquido refrescante com a leveza ideal para nossos dias quentes e a nossa paixão por inovação, ao trazer uma tampa diferente, muito mais prática para nossos consumidores. Um convite para se tomar uma cerveja gostosa de beber e agora mais fácil de abrir”, conta Maria Fernanda de Albuquerque, Diretora de Marketing da marca.

Lata de alumínio acompanha evolução da cerveja artesanal

Novos rótulos em latinhas dividem gôndolas dos supermercados com as tradicionais garrafas de vidro

De acordo com dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em 2016, o número de cervejarias artesanais cresceu 39,6%. Hoje a produção da categoria é estimada em 124 milhões de litros por ano. E a expectativa é que esse percentual aumente para 9% até 2022.

Esse cenário de expansão vem incrementando o uso da lata de alumínio para bebidas, em substituição às tradicionais garrafas de vidro originalmente adotadas pela produção artesanal. Ao lançarem novos rótulos, os fabricantes estão optando pela latinha, como é o caso da Cervejaria Pratinha, com sede em Ribeirão Preto (SP). A empresa acaba de lançar cervejas artesanais em latas de 473 ml. Os dois primeiros rótulos são a Pratipa e a Darkmoon.

“Participação da bebida artesanal no mercado cervejeiro pode dobrar em cinco anos”

Em dezembro de 2015, a cervejaria Dádiva, localizada em Várzea Paulista (SP), lançou seu primeiro rótulo, Venice Beach de 350 ml, com a nova embalagem. Em fevereiro de 2016, foi a vez da marca de cervejas artesanais Dona Mathilde Beer, de Itatiba (SP), lançar a German Premium Lager, cerveja gourmet,  em lata de 350ml.

Desde o início de 2017, as garrafas de vidro das cervejas artesanais Birits, Cacildis, Ditriguis e Forévis tiveram que abrir espaço nas gôndolas dos supermercados para as novas embalagens de alumínio de 350ml, que trazem o estilo descontraído da cervejaria Ampolis, inaugurada no Rio de Janeiro em 2013 em homenagem ao músico e humorista Mussum, o brasileiro Antônio Carlos Bernardes Gomes.

Em junho, foi a vez das cervejas catarinenses Schornstein Imperial IPA Schornstein Soul começarem a ser comercializadas em latinhas de 473 ml e 350ml.

Esses são alguns lançamentos que demonstram o crescimento do uso da lata de alumínio no segmento das cervejas artesanais, que promete dobrar sua participação no mercado nacional nos próximos anos. “Hoje, o Brasil é o terceiro mercado de cerveja no mundo. O segmento artesanal representa 1,5%. Mas a estimativa é que chegue a 3% em cinco anos. A mesma coisa vale para as cervejarias. O crescimento está muito acelerado. Hoje, nós temos 400 lojas de cervejarias no país, e a expectativa é que em cinco anos esse número dobre, chegando a 800 unidades”, afirma o diretor do Mestre-Cervejeiro.com, Daniel Wolff.

Agite a latinha antes de beber

Inovação promete cerveja de colarinho cremoso e espesso, basta agitar a embalagem e despejar a bebida no copo

A cervejaria paranaense Maniacs Brewing lança uma cerveja que promete um colarinho cremoso. Para conseguir esse efeito, basta agitar a latinha, antes de abrir, e despejar a cerveja em um copo. Com isso pequenas bolhas de nitrogênio se formam lentamente, de baixo para cima, compondo um colarinho espesso e duradouro.

O segredo está na maneira de envasar a cerveja na latinha de alumínio, que recebe, além do líquido, nitrogênio. De acordo com a cervejaria, o envase com nitrogênio líquido e baixa concentração de gás carbônico é responsável pela formação de uma cascata de cerveja que vai, aos poucos, se separando em líquido e colarinho, deixando na boca a sensação de uma cerveja muito mais cremosa do que a habitual.

Lata Pitú em ritmo de Rock

Cachaçaria lança embalagem de alumínio com layout oficial do Abril pro Rock 2017 que acontece no Nordeste

A cachaça Pitú vai marcar presença no Abril pro Rock 2017, levando ao evento a bebida em uma lata de alumínio especial. A embalagem tem design personalizado e utiliza a ilustração oficial do evento que acontece nos próximos dias 28 e 29, no Classic Hall, em Olinda (PE).

A cachaçaria produziu três milhões de unidades da embalagem de 350 mililitros. O layout da lata especial foi adaptado pela agência Extra Comunicação.

Segundo a empresa, a latinha do Abril pro Rock é bastante esperada pelos colecionadores de produtos da marca, que todos os anos lança embalagens personalizadas para o festival e também para datas comemorativas como Carnaval, São João e Réveillon.