Curso Embalagens de Transporte aborda custos e perdas na logística

Programação reforça práticas capazes de tornar empresas mais competitivas

 De 17 a 19 de setembro, o Instituto de Embalagens promoverá, em São Paulo, o Curso Embalagens de Transporte. A programação abordará estratégias e práticas que impactam na redução de custos e perdas que envolvem as diferentes estapas do processo logístico.

“Uma embalagem de transporte bem dimensionada pode tornar a empresa mais competitiva. É comum encontrar até 20 % de oportunidades de otimização nesta área da empresa”, ressalta Assunta Napolitano Camilo, diretora do Instituto de Embalagens.

O público-alvo do curso são os profissionais que atuam na área de intralogística e logística das empresas. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail: janaina@ideembalagens.com.br ou pelo website: www.institutodeembalagens.com.br

Curso Embalagens de Transporte
Data: 17 a 19 de setembro
Horário: das 8h às 17h
Local: Auditório da Abiplast
Avenida Paulista, 2439, 8° andar, São Paulo

Coelhos ganham vida em ovos de Páscoa

Imagens animadas de embalagens são projetadas no celular

Nesta Páscoa, os coelhos ganharam vida. Por meio do aplicativo “Páscoa Lacta”, disponível para sistemas Android e IOS, é possível assistir histórias com os personagens símbolos dessa época do ano. Basta baixar o app e aproximar o  celular da embalagem.

As imagens animadas estão nas embalagens dos Ovos Lacta, em todos os sabores de Bis, nas barras de chocolate Lacta 90 gramas e nas caixas Lacta Favoritos. Na projeção em realidade aumentada, uma “porta” se abre, levando o consumidor ao universo dos personagens e suas brincadeiras.

Inovação alia proteção de alimento e estética atraente

Stand-up pouch para molhos de tomate ganha formato de vidro hermético

“É preciso ter uma atenção especial aos critérios de conservação. Com o stand-up pouch, conseguimos oferecer funcionalidade e estética atraente”, afirma Antônio Ponce, gerente de Marketing de Shelf Stable da Bemis, ao comentar a nova embalagem da marca Sacciali, da Predilecta Alimento.

Desenvolvida pela Bemis, a embalagem de novos molhos de tomate premium  inova ao simular um vidro hermético, em material que proporciona alta barreira contra a luz e o oxigênio, oferecendo mais proteção e durabilidade para o produto.

“Inovamos em tamanho, com uma opção menor, com 300 gramas. Queremos atender ao nicho de pessoas que moram sozinhas, que têm o gosto pela culinária, mas que muitas vezes deixam de preparar seus pratos prediletos para não desperdiçar”, diz Ponce.

Um novo tempo para as embalagens

Conveniência de compras on-line exige aplicação de novas tecnologias

O crescimento mundial das compras on-line atinge uma taxa de dois dígitos ao ano, o que reforça a importância do desenvolvimento de embalagens que atendam o atual perfil de consumidores de alimentos e bebidas, que esperam poder comprar quando e onde quiserem via smartphones. A partir dessa constatação,  o levantamento Tetra Pak 2018 aponta as embalagens inteligentes como a melhor solução para acompanhar esse novo cenário.

Baseadas em códigos digitais exclusivos, as embalagem inteligentes permitem que cada pacote de produto receba um identificador único, que pode ser lido por por um smartphone comum, quando são acessadas informações variadas sobre o produto.

A tecnologia cria um canal interativo com consumidores individuais, permitindo o compartilhamento de detalhes sobre o fornecimento de matérias-primas, características nutricionais, informações ambientais e campanhas promocionais. Ao mesmo tempo, por meio de códigos digitais, as marcas podem aprimorar a experiência de compra e torná-la cada vez mais personalizada.

A necessidade da entrada das embalagens nesse novo tempo está baseada nas principais quatro tendências destacadas no Tetra Pak Index 2018, que moldam o crescimento da mercadoria on-line:

Conveniência. Os consumidores, em geral, procuram novas maneiras de facilitar suas vidas, o que exige embalagem conveniente e rápido reabastecimento do produto.

Sustentabilidade. Conscientização da economia circular continua crescendo e a reciclagem se torna cada vez mais importante. Os consumidores querem saber se as marcas seguem as políticas de sustentabilidade.

Personalização e exclusividade. Diferenciais exigidos pelo atual consumidor, o que impulsiona a tendência de venda direta e cerca de 80% das empresas de bens de consumo embalados devem migrar para esse modelo até 2025.

De acordo com Alexandre Carvalho, diretor global Marketing Services da Tetra Pak, “a ascensão da mercearia on-line é uma grande oportunidade para as marcas de alimentos e bebidas, e a embalagem desempenha um papel fundamental no seu sucesso. Em particular, a embalagem inteligente ajuda a impulsionar transparência e eficiência na cadeia de suprimentos, ao mesmo tempo em que possibilita um relacionamento direto e interativo com o consumidor”.

Criatividade diferencia marcas de bebidas

No mercado internacional, designers de embalagens são exemplos de inovação

img-int-mat-criatividade-01-nov2018A cooperativa da Coreia Sul Seoul Dairy Cooperative (SDC) inova e traz para o mercado a tecnologia cartonada asséptica para micro-ondas. O leite de soja Achimae é o primeiro produto a utilizar a embalagem Heat&Go. A embalagem pode ser aquecida até 60°C. A solução pode ser utilizada para bebidas como leite  e chás.

 

img-int-mat-criatividade-02-nov2018

O designer japonês Naoto Fukasawa transformou as embalagens de sucos em frutas. A inovação está na criação de embalagens realistas compostas por rótulos que trazem a textura e a cor de cada fruta.

 

 

img-int-mat-criatividade-03-nov2018

Criada para o mercado de bebidas dos EUA, em edição especial, a lata da Budweiser ganhou “cintura”. Devido ao formato diferenciado, a lata armazena um pouco menos de conteúdo – em torno de 330ml, ao invés dos tradicionais 350ml.

 

img-int-mat-criatividade-04-nov2018A cerveja Old Guard inovou trazendo o tradicional chapéu da Guarda da Rainha inglesa. Na criação do estúdio Viewpoint, na Rússia, além do acessório preto e das roupas vermelhas, foram utilizadas as cores e formas dos bigodes de cada “soldado” para diferenciar os tipos de fermentados.

 

ExpoAlumínio 2018 reúne especialistas do setor de embalagens

De 2 a 5 de setembro, evento tem como tema central as tendências mundiais do alumínio e a inserção do Brasil

A diversidade de aplicação do alumínio no desenvolvimento de embalagens seguras e recicláveis será tema de palestras na ExpoAlumínio 2018, evento internacional promovido pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL). De 3 a 5 de setembro, em São Paulo, o principal evento  de conteúdo do setor de alumínio traz como tema principal “Tendências mundiais do alumínio e a inserção do Brasil nesse cenário”.

O painel Embalagens reunirá especialistas do segmento no dia 5 de setembro, das 9h às 12h15, sob a mediação de Fernando Varella, coordenador do Comitê de Mercado de Embalagens da ABAL.  Entre os palestrantes estão Stefan Glimm, Diretor da GLAFRI – Global Aluminium Foil Roller Initiative; Claudia Leite, Coffe Ambassador América Latina da Nespresso; Naira Sato, Diretora de Categorias da Mintel; Alberto Ander, Consultor de Embalagens do Segmento Farmacêutico; Andre Caneca, Diretor de Suprimentos da Ball.

Conheça a programação completa do evento e increva-se.

Consumidores online valorizam as embalagens

Estudo aponta crescimento da compra via plataformas digitais e a importância da reciclagem e conveniência  

O Tetra Pak Index 2018 aponta o crescimento da conscientização da reciclagem como uma das principais  tendências de comportamento dos consumidores de alimentos e bebidas. Outro ponto de destaque apontado pela pesquisa global diz respeito à importância da conveniência das embalagens.

Os dados fazem parte de um estudo sobre a tendência da compra de alimentos e bebidas em plataformas digitais que passará por forte crescimento nos próximos anos. No mundo, o modelo de compra chamado de supermercado online movimenta, atualmente, US$ 44,5 bilhões, com projeção de crescimento de 17,4% até 2022. No Brasil, as vendas pelo canal registram US$ 75 milhões, com participação de 0,2%, quando relacionado aos demais canais de compra. Até 2022, a expectativa é que o canal online avance 6,5% no País.

“Compras online reforçam importância
de embalagens inteligentes”

Devido ao crescimento do supermercado online, a Tetra Pak projeta que as embalagens terão papel cada vez mais importante, com destaque para as embalagens inteligentes, que favorecem maior transparência e eficiência na cadeia de suprimentos e trazem novas possibilidades de interação e comunicação com o consumidor.

As embalagens inteligentes, por meio de códigos digitais, permitem que cada produto receba um identificador próprio. Os códigos podem ser lidos por dispositivos de escaneamento de dados ou por smartphones comuns.

As quatro principais tendências do consumo de alimentos e bebidas em supermercados online, segundo o estudo Tetra Pak Index 2018, são conveniência, sustentabilidade, personalização e exclusividade, tecnologia e desempenho.

Na Europa, embalagem prolonga shelf life de aves refrigeradas

Embalado a vácuo, frango pode ser assado diretamente em bandeja de alumínio

Para evitar o desperdício de alimentos, frequentemente associado a níveis mais altos de produção, como no caso da carne de frango que atingiu na Grã-Bretanha 182,2 mil toneladas em 2017, um aumento de 1,4% em relação ao ano anterior, empresas europeias investem no desenvolvimento de embalagens de alumínio capazes de prolongar o shelf life dos alimentos e oferecer mais conveniência ao consumidor.

Com o objetivo de atender essas necessidades, a Advanta, com sede no Reino Unido, desenvolveu para os  processadores de frango europeus uma embalagem que combina proteção do alimento e praticidade ao consumidor. Na nova solução, a ave é comercializada inteira em uma bandeja de alumínio pronta para cozinhar, bastando retirar o filme plástico que a envolve.

O porta-voz da empresa, Miguel Campos, explica que a “ave é embalada a vácuo na bandeja de alumínio, eliminando o oxigênio e, portanto, aumentando a vida útil das aves refrigeradas em até 300%. Os varejistas e os fabricantes estão cada vez mais optando por esse tipo de embalagem, porque os produtos com prazo de validade mais longo resultam em redução do desperdício da cadeia de suprimentos”.

Embalagem aumenta a vida útil das aves refrigeradas em até 300% e bandeja de alumínio suporta temperaturas que variam de -40°C a 400°C

Segundo a empresa, tanto a demanda do consumidor por conveniência quanto as exigências dos varejistas por prazos mais longos têm redirecionado as prioridades das embalagens para aves. “Como o consumo continua a crescer, novos conceitos são necessários para garantir que a embalagem seja adequada.  Independente da qualidade ou sabor de um produto, a embalagem sempre terá um impacto significativo sobre o consumidor”, afirma Campos.

A nova solução permite que a ave seja cozida diretamente na bandeja de alumínio que suporta temperaturas que variam de -40°C a 400°C, permanecendo inquebrável.  Também é 100%  reciclável, oferecendo uma opção mais ecológica, ao contrário das alternativas de bandejas plásticas ou de isopor.

Inovação traz mais praticidade à cozinha

Wyda lança folhas de alumínio já cortadas no tamanho 27cm X 30 cm, para atender dona de casa e mercado de food service

Tanto chefs profissionais quanto amadores já conhecem as muitas vantagens de usar papel alumínio na cozinha. O que nem sempre é muito fácil, porém, é cortar o produto no tamanho ideal para o uso, e foi pensando nisso que a Wyda acaba de trazer ao mercado o “Embrulha Fácil”.

Trata-se de um cartucho com unidades de papel alumínio já cortadas no tamanho 27cm X 30 cm. A novidade torna muito mais fácil embalar os alimentos, além de ser mais resistente. A superfície contém nervuras, como resultado do processo de grofagem. Sua embalagem ainda traz várias sugestões de uso e diversos tipos de aplicações do produto, que tem picote no centro para facilitar a retirada das folhas.

img-int-materia-wyda

Lanches, carnes, aves, peixes, burritos, wraps, frutas, espetinhos de churrasco, assados em geral, frutas, hot dogs. São muitos os alimentos consumidos no dia a dia que, de acordo com a fabricante, podem ser embalados com o “Embrulha Fácil”.

O lançamento está à venda em cartuchos com 25 unidades, acondicionados em caixas de embarque com 24 cartuchos cada, e na versão com 250 unidades, acondicionada em caixas de embarque com 12 cartuchos cada.

“Lançamos duas versões para podermos atender tanto a dona de casa quanto o mercado food service”, explica Cadu Migliorini, responsável pelo marketing do Grupo Wyda. “Esse tipo de produto já é muito usado nos Estados Unidos, onde é chamado de pop-up foil sheets.”

Índice de reciclagem da latinha reflete mudança de mentalidade

Ao manter a liderança no ranking de reutilização do alumínio da lata para bebidas, Brasil evolui em práticas sustentáveis

O mais recente Índice Nacional de Reciclagem de Latas de Alumínio mostrou que o Brasil continua no caminho certo: em 2016, o país reciclou 97,7% do produto, o que o mantém entre os líderes mundiais no quesito.

Divulgados pela ABAL e pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas), em outubro, os dados mostram que das 286,6 mil toneladas disponíveis no mercado, cerca de 280 mil passaram pelo processo de reciclagem. Além dos benefícios ao meio ambiente, a reciclagem de latas representou cerca de R$947 milhões injetados na economia nacional no ano passado.

Os bons índices têm colocado o Brasil entre os melhores em reciclagem de latas de alumínio desde 2001, mas o que isso significa na prática? Ainda há espaço para avanços? A maneira das empresas enxergarem a questão mudou realmente ou um trabalho de conscientização ainda se faz necessário?

Para Maria Zulmira de Souza, consultora em comunicação estratégica para sustentabilidade, “as empresas se deram conta de que não podem ficar jogando fora uma matéria-prima nobre como o alumínio. Não faz sentido se desfazer de um material que já teve um alto custo para a produção da embalagem”.

“A reciclagem de latas de alumínio representou cerca de R$947 milhões injetados na economia nacional em 2016”

A consultora coloca o Brasil em uma fase de transição: há empresas e consumidores que veem a reciclagem somente como uma obrigação e outras que já perceberam a real importância da questão e as tem como parte de sua cultura.

“As empresas que fazem relatórios específicos sobre sustentabilidade estão em número cada vez maior”, diz a consultora. “Quem hoje procura somente cumprir a legislação está defasado. É ótimo termos um índice de reciclagem de latinhas tão bom. Mas, para continuarmos a avançar, precisamos estar atentos, por exemplo, ao índice de reciclagem de outros materiais também”, acredita Zulmira.

Presidente-executivo da Abralatas, Renault Castro ressalta que o índice de 97,7% é ainda mais notável porque, em países com índices superiores como Finlândia e Alemanha, a reciclagem é obrigatória, diferente do Brasil. “Além disso, eles produzem um volume de latinhas consideravelmente menor que o nosso. Isso significa que nosso índice tem um valor ainda maior, por se tratar de um descarte voluntário, com uma abordagem social”.

Para Castro, o maior desafio está em manter esse índice. “Para isso, precisamos manter o sistema de compras, de avaliação de preços de mercado, aumentar os postos de coleta e melhorar a comunicação entre as cooperativas para que elas ganhem em eficiência e produtividade.”