img-ext-cervejamussum-01

Cerveja artesanal versão “latis”

Potencial criativo das latinhas e proteção do alumínio valorizam diferenciais de cerveja criada em homenagem ao músico e humorista Mussum

As embalagens das cervejas artesanais Birits, Cacildis, Ditriguis e Forévis exemplificam o potencial criativo das latinhas de alumínio para bebidas. De cores fortes e ar retrô, as latas trazem o estilo descontraído da cervejaria Ampolis, inaugurada em 2013 em homenagem ao músico e humorista Mussum, o brasileiro Antônio Carlos Bernardes Gomes.

Depois de consolidar a marca com as garrafas de vidro, a cervejaria do Rio de Janeiro lançou as quatro versões, criadas a partir das expressões usadas pelo humorista falecido em 1994, em latas de 350 ml. Ao anunciar a novidade nas redes sociais, a Ampolis, em seu estilo bem-humorado, destacou as vantagens do alumínio: “Pode agradecer aos Deuses do Mé porque com a chegada da FORÉVIS temos mais essa novidade: todos os nossos diuréticos agora também na versão latis! Coisa lindis!! Pra colecionar tudo! E além de lindas ainda protegem ainda mais o seu mé do ar e da luz, pra ele chegar até vc perfeitis!!”.

img-cerveja-artesanal-em-lata-destaque

Inovação em Lata

Tecnologia de envase móvel impulsiona lançamentos de microcervejeiras em latinhas de alumínio

Enquanto nos EUA e na Europa os fabricantes de cervejas artesanais oferecem suas bebidas tanto nas opções em vidro como em latas, no Brasil as embalagens de alumínio ainda são pouco conhecidas. Mas as microcervejeiras nacionais começam a investir no envase móvel, que dispensa o alto investimento em processos automáticos de alta escala.

“O sistema foi desenvolvido há três anos nos EUA, para atender a maioria dos pequenos fabricantes que trabalhava com máquinas manuais de baixa produtividade”, explica Alexandre Levorin, diretor da DaLata Mobile Canning Service, empresa responsável pela introdução da novidade no Brasil.

De acordo com Levorin, a logística é simples e eficiente. O equipamento para envase é instalado em uma área de 2,5 metros por 9 metros e oferece o serviço diretamente do tanque onde a bebida é armazenada.

“O sistema consiste em despaletizar as latas, fazer a rinsagem para sanitização das mesmas, aplicar Co2 para expurgar o oxigênio, aplicar o líquido, colocar a tampa e recravá-la. O cliente apenas precisa fornecer a bebida, oferecemos a solução completa de envase”, explica Levorin.

Com capacidade de envase de 1000 litros de bebida por hora, em latas de 269ml, 350ml e 473ml, o sistema móvel também atende a indústrias de bebidas dos segmentos de sucos, refrigerantes e energéticos.

A empresa é responsável por fornecer as latas personalizadas – impressão por litografia, no caso de volumes acima de 100 mil unidades, ou por shrink sleeve, para o mínimo de 2500 unidades.

O método sleeve permite às microcervejeiras trabalhar com um volume de estoque compatível com seus negócios, evitando alto investimento na produção de rótulos diferenciados e personalizados.

Para a fabricante de embalagens Rexam, o envase móvel traz maior autonomia ao microempreendedor, ganho de velocidade para atender às demandas de pequenas e médias empresas e uma possível redução dos custos de transporte da bebida, que pode ser produzida e envasada no mesmo local.

As vantagens da lata de alumínio e a inovação do envase móvel devem impulsionar a adoção da embalagem pelas microcervejeiras nacionais, que hoje, segundo Levorin, chegam a cerca de 300 empresas, entre fábricas e brewpubs.

A Dádiva,  localizada em Várzea Paulista (SP), está entre os produtores de cerveja artesanal que resolveram optar pela lata de alumínio graças ao envase móvel. Com capacidade produtiva mensal de 24 mil litros, a empresa lançou em dezembro de 2015 seu primeiro rótulo, Venice Beach de 350 ml, com a nova embalagem. Leve e aromática, a Venice Beach contém 4,5% de teor alcoólico e leva lúpulos americanos em sua receita.

Em fevereiro, foi a vez da marca de cervejas artesanais Dona Mathilde Bier, de Itatiba (SP), lançar a German Premium Lager, cerveja gourmet, em lata de 350ml. Com 5,1% de álcool, a nova bebida, isenta de produtos químicos, é produzida conforme a Lei da Pureza Alemã (Reinheitsgebot), de 1.516.

“A lata é leve, fácil de levar e de gelar. Ou seja, é muito mais prática do que o vidro. Além disso, ela mantém melhor as propriedades da cerveja, , uma vez que protege a bebida da incidência de luz”, explica Luiza Lugli Tolosa, sócia-fundadora da Dádiva, que há dois anos entrou para o mercado de cerveja artesanal de São Paulo.

img-materia-aogostodofregues

Ao gosto do freguês

Cervejas em garrafas de alumínio atendem expectativas do consumidor e promovem marcas

Em recente pesquisa internacional, consumidores revelam a preferência por inovações quando o assunto é embalagem. Para mais de 77% dos entrevistados de países desenvolvidos e emergentes, incluindo o Brasil, as marcas estão no caminho certo ao adotarem novas soluções.

O levantamento, realizado em 2014 pela MeadWestvaco Corporation (MWV), além da expectativa por novidades, mostra que o consumidor está atento a conveniência, segurança, facilidade de uso e sustentabilidade das embalagens.

O estudo revela um contexto de mercado que vem sendo explorado pela indústria cervejeira, por meio do lançamento de edições especiais que têm a garrafa de alumínio como destaque. O design arrojado e as cores especiais são as primeiras novidades que impactam o consumidor nas redes de supermercados, que reservam espaços diferenciados para a exposição desses produtos.

Entre os pontos positivos do alumínio está o fato de a “rotulagem” ocupar 100% da embalagem, o que permite transformar a apresentação do produto para maximizar a mensagem desejada, de acordo com campanhas promocionais, eventos ou datas comemorativas. Uma solução de marketing não aplicável à embalagem de vidro, que permite a utilização de 30% a 40% da garrafa.

De acordo com Luciano Túlio, gerente de Inovação da Ambev, “os públicos são segmentados por marca e uma garrafa de alumínio pode ter o design, a tecnologia e a arte desenvolvidos de acordo com a identidade visual do consumidor de cada marca”.

Outras vantagens da garrafa de alumínio destacadas pela Ambev, detentora das principais marcas de cerveja comercializadas no País, também atendem às exigências do consumidor em tempos de valorização de conveniência e sustentabilidade: reciclabilidade (100%), leveza (otimização do transporte), a bebida gela mais rápido (redução do consumo de energia), embalagem inquebrável (segurança).

img-mat01-02

Imagem divulgação

A copa do mundo, em 2014, foi o último grande evento nacional que impulsionou o mercado de bebidas e o lançamento de edições limitadas de marcas de cerveja da Ambev, como Brahma e Budwiser. A ação de marketing, desenvolvida para surpreender e atrair diferentes perfis de consumidores, reforçou a presença das marcas no maior evento esportivo internacional e ofereceu uma peça diferenciada de recordação do campeonato mundial de futebol realizado no País.

Além de edições comemorativas, outras iniciativas podem incentivar a compra, a coleção e o reaproveitamento das embalagens especiais de alumínio. Em 2013, por exemplo, a Skol lançou uma garrafa de 473 ml, com cinco opções de estampas, para ser reutilizada como item de decoração: luminárias, relógios, galheteiros, castiçais ou vasos. Além de poder montar sua própria peça, o consumidor teve a opção de adquirir o kit completo no site da empresa.

img-mat01-03

Imagem divulgação

No mesmo ano, a cervejaria holandesa Heineken, uma das primeiras a introduzir a cerveja em garrafa de alumínio no Brasil, marcou a comemoração dos 140 anos da marca com a série Episodes, composta por quatro modelos diferentes de garrafas.