img-ext-mat-pilao

Pilão adota cápsulas de alumínio para novos sabores de café

Tecnologia de embalagens de alumínio aprimora extração do café espresso em máquinas

Depois de lançar o primeiro café monodose em cápsulas de alumínio comercializado  em supermercados , da marca L’Or , a Jacobs Douwe Egberts (JDE) Brasil disponibiliza no mercado nacional o café Pilão na mesma embalagem.

A substituição das cápsulas de plástico pelas de alumínio faz parte da estratégia da empresa. “Com essa novidade estamos promovendo uma experiência mais democrática para o consumidor. Nos preocupamos sempre em trazer uma qualidade superior e Pilão Cápsulas de Alumínio traduz esse cuidado no café para o dia a dia”, diz Débora Bertolozzi, Gerente de Marketing da JDE Brasil.

Novos produtos combinam grãos arábica e robusta

Segundo a JDE, a tecnologia aplicada nas novas cápsulas de alumínio, importadas da França, traz uma melhor forma de extração do café espresso em máquinas, mantendo a qualidade da bebida por muito mais tempo e conservando os mais delicados aromas da bebida.

A nova linha de Pilão traz um portfólio de produtos desenvolvidos com cafés que combinam grãos arábica e robusta. As cápsulas já estão disponíveis nos supermercados em cinco versões de sabores e intensidades, em embalagens de 10 e 20 unidades.

img-externa-mat02-mar2018

Cápsulas são aliadas dos negócios sustentáveis

Embalagens de alumínio permitem logística reversa adotada pela Nespresso

As cápsulas de alumínio, por serem 100% recicláveis, são as principais aliadas da política de economia sustentável da Nespresso. No mundo, a marca investe anualmente cerca de 25 milhões de francos suíços em reciclagem.

Segundo a fabricante de café, o volume de embalagens recicladas cresce mensalmente no Brasil, devido a campanhas de coleta voltadas a consumidores e empresas. Em 2017, a Nespresso reciclou 13,3% do volume vendido, o índice ficou em 8,6% no ano anterior.

Por meio de logística reversa, as embalagens são levadas ao Centro de Reciclagem Barueri, em São Paulo.  Um processo mecânico, sem uso de água, separa os dois subprodutos das cápsulas: alumínio e borra de café. O alumínio é enviado para uma empresa parceira que realiza a reciclagem do metal e o café é destinado para a produção de adubo orgânico, segundo Claudia Leite, Head de Cafés e Sustentabilidade Nespresso Brasil.

Empresa investe anualmente cerca de 25 milhões de francos suíços em reciclagem

Segundo Cláudia, como as cápsulas de café Nespresso são produzidas na Suíça, é logisticamente inviável que o material coletado no Brasil seja enviado para produção de novas cápsulas. “Cada mercado em que a empresa atua é responsável por encontrar localmente o destino correto para o material”, explica.

O consumidor entrega voluntariamente as cápsulas nos pontos de coleta da Nespresso, localizados nas boutiques em diversas cidades do país ou parceiros da marca. Além disso, a empresa oferece nas cidade de São Paulo e do Rio de Janeiro serviço de entrega rápida por bicicleta, em que o ciclista pode recolher as cápsulas no momento da entrega.

Para mais de 200 clientes da linha profissional, a empresa oferece serviço de coleta dedicada ou de coleta no momento da entrega do pedido. Nesse caso, a logística é toda realizada por veículos elétricos, sem emissão de poluentes.

“A Nespresso tem o compromisso com reciclagem desde 1991, quando o processo iniciou na Suíça. No Brasil, desde a chegada da marca no país, todas as cápsulas degustadas nas boutiques ou recebidas espontaneamente do consumidor foram armazenadas no Centro de Distribuição, até o momento em que a marca conseguiu uma solução para reciclar efetivamente, o que ocorre desde 2011”, conclui Claudia.

 

img-ext-capsula-cafe

Cápsulas de café de alumínio chegam aos supermercados

Compatíveis com as máquinas de café Nespresso, monodoses da marca francesa L’OR oferecem os benefícios do alumínio para garantir qualidade premium

O crescimento do café em cápsulas tem impulsionado o desembarque que novas marcas internacionais no mercado brasileiro. Entre os últimos lançamentos está o da JDE, líder no segmento de cápsulas compatíveis a máquinas de café Nespresso, que este ano passa a ser a primeira produtora a trazer cápsulas de alumínio para as gôndolas de supermercados, através da sua marca L’OR.

“A nova cápsula de alumínio L’OR Espresso proporciona mais aroma, intensidade e uma espuma mais rica”, garante Lara Brans, presidente da JDE Brasil. Segundo dados divulgados pela Nespresso, estudo publicado por Chahan Yeretzian, da Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique, na Suíça, concluiu que as cápsulas de alumínio são as melhores para preservar o frescor e o aroma do café durante o prazo de validade de um ano.

Detentora das marcas Pilão, Pelé Graníssimo e L’OR, a empresa aposta no aumento de consumo da bebida premium pelos apreciadores de café espresso. De acordo com as expectativas da ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café), o segmento de monodose tende a triplicar nos próximos quatro anos. “A estimativa para 2019 é de que as vendas de cápsulas movimentem algo em torno de R$ 2,96 bilhões”, informa Brans.

“Mercado brasileiro de cápsulas deve movimentar cerca de R$ 2,96 bilhões em 2019”

Outro levantamento que confirma o crescimento de consumo das monodoses é o “Coffee Global Anual Review”, realizado em janeiro de 2017 pela Mintel, agência global de Inteligência de Mercado. A pesquisa mostra que o público jovem prefere bebidas personalizadas. Na parte da manhã os jovens buscam um café “de alta energia” e, à tarde, uma opção da bebida com menos cafeína. E 71% dos brasileiros querem mais opções de cafés premium e de alta qualidade.

“As cápsulas de L’OR Espresso são produzidas com grãos cuidadosamente selecionados e 100% certificados pelo programa UTZ Certified, que confere a garantia da sustentabilidade em toda cadeia produtiva. A produção está centralizada na França, na fábrica localizada na cidade de Andrezieux Boutheon, em Loire, seguindo o mais alto padrão de qualidade para oferecer um café premium”, conclui a presidente da JDE Brasil.

Importadas da França, as cápsulas de alumínio L’OR podem ser encontradas nos supermercados em embalagens de papel cartão de 10 unidades cada, sendo uma delas disponível também em embalagem de 20 unidades.

ext-nespresso-02

Cápsulas de alumínio mantêm aroma e sabor do café

Estudo aponta o alumínio como a melhor solução para proteger a qualidade das doses individuais de café e garantir logística reversa

Um estudo recente publicado por Chahan Yeretzian, da Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique, na Suíça, comparou quatro materiais diferentes e concluiu que as cápsulas de alumínio são as melhores para preservar o frescor e o aroma do café durante o prazo de validade de um ano. Os dados foram divulgados pela Nespresso, que utiliza o alumínio para proteger a qualidade e o frescor dos Grands Crus.

“Nossas cápsulas de alumínio, hermeticamente fechadas, fornecem a melhor proteção contra fatores como oxigênio, luz e umidade. Outro fator é que o alumínio tem uma função essencial nos cafés Nespresso. As cápsulas são desenvolvidas para interagir com a máquina e proporcionar a alta pressão equivalente àquela das máquinas espresso profissionais”, explica Christiane Nunes, gerente de Relações Públicas da Nespresso Brasil.

Como um dos maiores produtores e consumidores de café mundiais, o Brasil é considerado um mercado estratégico para o setor. De acordo com Pedro Feliu, diretor Nescafé Dolce Gusto, os brasileiros consomem cerca de 225 mil xícaras da bebida por minuto e 3% das vendas de café são em cápsulas . Em 2015, foram consumidas 520 milhões de cápsulas, segundo Feliu.

“Em 2015, o Brasil consumiu 520 milhões de cápsulas de café

Além das vantagens do alumínio, a cápsula atende às necessidades do consumidor contemporâneo, que busca a conveniência das embalagens de monodoses e variedades de tipos de cafés, segundo Feliu. Apenas a marca Nespresso disponibiliza aos brasileiros 24 opções. “Em nossas boutiques incentivamos os clientes a descobrirem novas opções de café desde os suaves, até os equilibrados, intensos, superintensos e aromatizados, além das edições limitadas lançadas anualmente”, conta Christiane.

Outro diferencial da cápsula de alumínio está relacionado a produção e ao consumo sustentável, pois auxilia os fabricantes a manter ações de logística reversa devido ao alumínio ser 100% reciclável. O sistema implantado pela Nespresso permitiu que no final de 2014 a marca atingisse a capacidade de mais de 80% de coleta de cápsulas. E até 2020, pretende alcançar 100%, segundo a gerente.

A Nespresso conta com 28 pontos de coleta de cápsulas no Brasil. Nas cidades onde não há pontos de coleta, a Nespresso orienta que as cápsulas sejam encaminhadas aos Postos de Entrega Voluntária (PEV), onde o material é recolhido para reciclagem.

A relação entre um café bem tirado e o alumínio é bem antiga. Quer saber há quanto tempo essa parceria existe? Leia esse artigo: A história do alumínio e do café.