Shoyu em blister facilita consumo

Selada com película de alumínio, embalagem dispensa uso de tesoura para abertura e vasilha para o consumo do molho

A Asteca Hinomoto optou pelo blister, selado com película de alumínio, para diferenciar a embalagem do molho Hinomoto Shoyu, nas versões premium e light.

A nova embalagem lembra os barcos de sushis oferecidos pelos restaurantes japoneses e facilita a manipulação, podendo ser consumido diretamente, sem a necessidade de uso de vasilha adicional. A aba para abertura  dispensa o uso de tesouras ou rasgos para consumo.

Segundo a empresa, a porção individual de 30 ml tem o objetivo de oferecer mais praticidade para os consumidores e ajudar na redução do desperdício  de alimentos.

Impressão de blister destaca medicamentos OTC nas gôndolas

Tecnologia permite o uso de até 10 cores na produção da embalagem de alumínio impressa nas duas faces

Os medicamentos que exigem embalagens que garantam conservação dos princípios ativos são protegidos pelo blister de folha de alumínio, que ainda pode trazer impressões diversificadas com o uso da tecnologia coldform impresso.

“Com a impressão, os laboratórios que possuem medicamentos OTC (Over the Counter) podem expor seus produtos de forma diferenciada nas gôndolas”, explica Marcus Correa, gerente de Marketing & Pricing da Bemis. pioneira na aplicação da tecnologia no mercado brasileiro.

Segundo Correa, com o uso de impressora de rotogravura, o blister pode ser impresso em até 10 cores, o que oferece flexibilidade para a criação de diferentes embalagens. Como exemplo, o gerente cita o adotado pelo medicamento para enxaqueca da marca Doril, da Hypermarcas.

img-interna-materia-blister

O medicamento é o primeiro a utilizar a tecnologia no Brasil, que possibilita usar as duas faces do blister para a comunicação com o consumidor, incluindo a bolha formada para acomodar o produto, oferecendo mais visibilidade aos disponibilizados sem receita médica.

“Cada princípio ativo dos medicamentos possui interação diferenciada com a embalagem e o ambiente, porém pode-se assegurar que o codlform é a que propicia a melhor barreira. Além dos OTC, normalmente os medicamentos indicados para tratamento neurológicos, cardíacos e diabetes utilizam a essa solução”, afirma Correa.

O gerente ainda ressalta mais um benefício do codlform: “Na produção e impressão a estrutura possibilita melhor estabilidade durante o processo de conversão. Ou seja, a estrutura garante níveis de performances que não impactam em maiores perdas ou dificuldade de utilização durante o envase”.

Medicamento seguro

Blister de folha de alumínio garante conservação de princípio ativo e ajuda a combater falsificações

As folhas de alumínio são fortes aliadas do mercado farmacêutico. Elas garantem impermeabilidade, resistência à corrosão, opacidade, impedem a oxidação. Fatores fundamentais para a conservação do princípio ativo do medicamento.

img-interna-medicamento-seguro

Além do blister tradicional, os fármacos de alta sensibilidade são embalados com o flexível blister alu-alu, composto   por tampa (blister tradicional), com propriedades de selabilidade e proteção, e corpo de laminado de altíssima barreira a umidade, oxigênio, aroma e luz.

“Os medicamentos que mais utilizam essa apresentação de embalagem são os comprimidos, comprimidos revestidos, drágeas, pastilhas, cápsulas duras e cápsulas moles”, explica Renato Pecoraro, diretor industrial do laboratório Medley. Empresa que conta com o fornecimento de seis indústrias nacionais de alumínio, consumindo de cinco a 10 toneladas mensais do material.

A matéria-prima das embalagens são folhas com ligas de alumínio com espessuras entre 21 a 45 µm. Uma característica muito importante para a demanda do segmento farmacêutico, devido à baixa tolerância a micro furos, segundo Claudio Leite, gerente comercial de folhas de alumínio da Novelis.

“Impressão de picotes garante fracionamento individual sem comprometer a proteção da embalagem”

Pecoraro destaca outro diferencial do blister de folha de alumínio: “Permite a impressão de informações, como o número do lote e a data de validade do produto, que podem ser relacionadas com a embalagem secundária (cartucho), minimizando os riscos de falsificação”.

A embalagem ainda é essencial para o fracionamento seguro, de acordo com o diretor industrial do laboratório Medley. Para ele, uma das principais vantagens dos blisters é possibilitar a impressão de picotes ao redor de cada comprimido ou cápsula, que permitem o destaque unitário da cartela, mantendo a embalagem intacta. O que garante que o medicamento continue protegido dentro da sua embalagem original.