Mercado mundial de aerossol produz mais de 8 bilhões de latas

Setor de cosméticos lidera o consumo de embalagens de alumínio

Em 2018, foram fabricadas 8.140 milhões de latas de alumínio de aerossol em todo o mundo, segundo levantamento recém-divulgado pela Aerobal (Organização de Produtores Internacionais de Recipientes de Aerossol de Alumínio). Cerca de 84% de toda a produção foi utilizada pelo setor de cosméticos. Desodorantes e perfumes representaram 57%.

Para 2019, a Aerobal prevê que os  mercados da Europa e América do Norte tendem a permanecer estáveis ​​em um nível alto de produção. Os da América Central e do Sul, com crescimento de um dígito em 2018, mostram um excelente potencial de expansão.

As propriedades do aerossol de alumínio, que protegem os conteúdos contra a ação da luz, gases e umidade, impedindo a deterioração e qualquer tipo de impureza, são as principais responsáveis pela alta produção, segundo o presidente da Aerobal, Leopold Werdich. “A crescente demanda por produtos para cuidados com o corpo, como espumas de banho e de barbear e protetores solar, apoiará a evolução do mercado nos próximos meses. Para isso, devemos acrescentar um interesse crescente de clientes farmacêuticos, que valorizam cada vez mais as vantagens da lata de aerossol de alumínio”.

Empresa britânica inova com chá em embalagem aerossol

 

Propriedades isolantes do alumínio foram determinantes para criação do produto em spray

Grandes consumidores de chá, os britânicos agora contam com uma invenção inusitada: chá em spray. O produto, criado pela empresa Yum Cha Drinks, é acondicionado em latas de aerossol feitas de alumínio.

Chamada de “No More Tea Bags” (algo como “saquinhos de chá nunca mais”), a criação dispensa os conhecidos saquinhos da bebida. Ao invés de encharcá-los, quem quiser tomar chá só precisa borrifá-lo em uma xícara ou copo e adicionar água ou leite.

img-int-no-more-tea-bags

A Yum Cha Drinks fica em Leatherhead, interior da Inglaterra, produz o equivalente a um enorme pote de chá concentrado e acondiciona a bebida em latas de alumínio, sendo que cada uma rende em torno de vinte xícaras.

Responsável pela criação e dono da empresa, Guy Woodall explica que optou pelas latas de alumínio por suas propriedades isolantes: “A embalagem nos permite trabalhar com um produto sem conservantes químicos, totalmente isolado do ambiente exterior”.

Outro atrativo mencionado por Woodall refere-se aos benefícios ao meio ambiente. “Lembre também que o alumínio é muito mais fácil de reciclar que o vidro”, diz ele, que à princípio utilizou garrafas de vidro para o “No More Tea Bags”.

Por enquanto, o chá em spray vem em três sabores, “English breakfast”, “Earl Grey” e “Jasmine” e está disponível apenas no Reino Unido. “Mas temos planos de expansão internacional. Já recebemos a aprovação de autoridades japoneses e esperamos enviar o primeiro carregamento até o Natal“, conclui.

Aerossol em alta

Produtos de higiene pessoal impulsionam crescimento de 21% do uso da chapa de alumínio em embalagens

De acordo Fernando Wongtschowski, gerente de Marketing e Desenvolvimento de Produto da Novelis, de janeiro a novembro de 2015, o mercado nacional registrou 21% de crescimento no consumo da chapas de alumínio utilizadas para a produção de embalagens, exceto latas de bebidas, em comparação ao mesmo período de 2014. “Esse desempenho foi puxado pelo envase de produtos de higiene pessoal, segmento responsável por 95% da utilização dos aerossóis de alumínio”, acredita Wongtschowski.

Ainda segundo Wongtschowski., as projeções apontam para um crescimento anual médio de 4,7% do mercado de aerossóis até 2018, período em que a embalagem de alumínio terá crescimento de 5,1%. Para ele, esses números refletem o amadurecimento do mercado, que após a média anual de 10,8% , entre 2010 a 2014, apresenta uma redução natural na velocidade de crescimento, porém mantem ainda um ritmo significativo.

“De 2015 a 2018, mercado de aerossóis deve crescer 4,7% ao ano”

Os desodorantes são os maiores responsáveis pelo consumo de aerossóis de alumínio no País, de acordo com o gerente da Novelis. Um dado que acompanha a preferência de consumo dos brasileiros, segundo dados da empresa de pesquisas Euromonitor, que aponta o formato aerossol como destaque de crescimento nos últimos anos, passando de 31%, em 2009, para 50%, em 2013.