img-ext-mat-sache-jul2018

Sachê alia eficiência de marketing e proteção da folha de alumínio

Embalagem beneficia crescimento da indústria de cosméticos de diferentes portes

O Brasil ocupa o quarto lugar no ranking dos maiores consumidores de produtos de higiene e beleza. Em 2017, a indústria do setor registrou um faturamento de 102 milhões de reais, uma alta de 3,2% em relação a 2016 (99 milhões de reais). E para este ano a expectativa de crescimento é de cerca de 3,8%.

Os resultados positivos, apesar da crise econômica, alimentam o segmento de cosméticos composto por aproximadamente 1.500 empresas, segundo dados da Artpack, fornecedora de sachês para a indústria nacional.

De acordo com Carlos Signei de Souza, presidente da Artpack, os produtos de higiene e limpeza disputam cada centímetro de gôndola, cada cliente na venda direta, e a utilização do produto em amostras ainda é a melhor forma para divulgação. Cerca de 86% de nossa produção da empresa é voltada aos sachês de amostra grátis. Souza ressalta que “as principais marcas se beneficiam com a estratégia de fazerem seus produtos diferenciados serem conhecidos através da distribuição agressiva de amostra grátis, seja elas em sachês ou miniaturas”.

Produzidos em pequenas quantidades, sachês não são privilégio das grandes marcas

Além de eficiente ferramenta de marketing, o executivo destaca o diferencial da embalagem graças à presença do alumínio, que garante barreira contra a luz e evita a perda de produto, impedindo-o de atravessar a embalagem. “Envasado em sachê composto apenas de polietileno e poliéster, em um ano, há perda de 5% de líquido”, explica.

Há uma década, a tecnologia passou a ser mais acessível às pequenas e médias indústrias de cosméticos. “Quando fundamos a Artpack, em 2017, o setor contava com empresas que forneciam sachês em apenas grandes quantidades, de 30 a 100 mil unidades. Passamos a oferecer lotes de no mínimo 3 mil, utilizando maquinário apropriado para pequenas quantidades. Começamos com 10 clientes e hoje atendemos cerca de 250 empresas”, conclui Souza.

Deixe um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *