Redução de latas de bebidas atende indústria e consumidor

 Versatilidade das embalagens de alumínio permite atender demandas diversificadas de quem produz e de quem consome

As embalagens de 250ml ou menores representavam 40% das marcas de bebidas gasosas da Coca-Cola, em 2017. E as minilatas e outras embalagens pequenas compunham 15% das bebidas gasosas da companhia comercializadas na América do Norte. Essa tendência de redução das embalagens por parte da indústria de bebida atende a demandas dos consumidores, que variam de causas econômicas à busca de alimentação saudável.

De acordo com Thiago Gnecco, gerente comercial América do Sul da fabricante de latas Ball, as marcas sempre buscam soluções de embalagem que se adequem à sua estratégia. “No caso do Brasil, a crise econômica reduziu o poder de compra dos consumidores e embalagens menores têm menor custo unitário. Neste caso, foi a oportunidade para as marcas não verem seus consumidores migrarem para produtos competidores. Existe também a busca do consumidor por produtos mais saudáveis e as embalagens menores auxiliam também na redução da quantidade de calorias ingeridas. Além disso, existem categorias que tem como estratégia atingir o público infantil”, explica.

Embalagens menores garantem ao consumidor acesso a bebidas em diferentes ocasiões de consumo

Apesar de não citar números, Gnecco garante que, no caso de refrigerantes, as embalagens menores são parte da estratégia de algumas empresas globais e tem crescido não só no Brasil, como também em todo o mundo. Segundo gerente, em alguns países existem regulamentações governamentais que exigem valores máximos de calorias e outros ingredientes, que só podem ser atingidas por embalagens menores.

Gnecco ainda ressalta que as embalagens menores garantem ao consumidor acesso a bebidas em diferentes ocasiões de consumo.  “Na indústria da cerveja, a redução da embalagem em lata (269 ml), muito conhecida em grandes eventos, como o carnaval, tem como apelo uma quantidade menor de bebida que mantem-se gelada enquanto o consumidor a degusta”, exemplifica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *