img-mat-cafe-nespresso-out2018

Especialistas destacam o potencial de reciclagem do alumínio

8o Congresso Internacional do Alumínio debate a participação das embalagens na economia sustentável

Flexibilidade, praticidade, proteção e sustentabilidade. Essas foram as propriedades do alumínio destacadas por palestrantes no painel Embalagens do 8o Congresso Internacional do Alumínio, promovido pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), de 3 a 5 de setembro, em São Paulo.

 

Além do alumínio favorecer o desenvolvimento de novas embalagens, oferecer comodidade e segurança ao consumidor, o potencial de reciclagem do metal foi destaque. Ao abordar o tema Tendências de Embalagens, Naira Sato, diretora de Categorias Mintel, apresentou dados estatísticos que reforçam a importância do alumínio para o desenvolvimento de embalagens que atendam as demandas do consumidor que prioriza a sustentabilidade.

 

Ao ressaltar que a reciclagem é a peça chave da economia circular, Sato, especialista em análise e pesquisa de mercado, afirmou que 94% dos consumidores globais querem reciclar e valorizam produtos recicláveis e reciclados. E 78% valorizam a embalagem que traz a mensagem reciclável ou produzida com produtos recicláveis.

 

As latas de alumínio, por exemplo, foram citadas como as mais utilizadas para bebidas – alcoólicas, refrigerantes, sucos -, devido à possibilidade de criar embalagens de diferentes formatos e tamanhos, à comodidade oferecida ao consumidor e ao alto potencial de reciclagem. Como exemplo, Sato citou o caso das cervejas artesanais dos Estados Unidos, mercado no qual cresce o uso das latas de alumínio, embalagens anteriormente consideradas “não-artesanais” e incompatíveis com o volume de produção das microcervejarias.

 

Café sustentável

A também palestrante Claudia Leite, Coffe Ambassador América Latina Nespresso, ressaltou a importância de a marca optar pelas cápsulas de alumínio como embalagem das doses individuais de café. Somada à proteção do sabor e aroma da bebida, o alumínio destaca-se entre os demais materiais por ser 100% reciclável. Uma propriedade que, segundo Leite, atende às políticas sustentáveis adotadas pela marca.

Ao lembrar que a reciclagem do alumínio consome 95% menos energia do que a produção de alumínio virgem e 75% do metal produzido no mundo ainda está em uso, Leite destacou a importância de ampliar a quantidade de cápsulas recicladas. No Brasil, em 2016, ano de chegada da marca, 8,6% das cápsulas foram recicladas; em 2017, o volume passou para 13%; e em 2018 a marca já registra 17%.

A Nespresso tem como meta a reciclagem de 75% das cápsulas de alumínio, que são entregues pelos consumidores em 71 pontos de coleta espalhados pelo País.

 

Deixe um comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *