Tampa de alumínio protege sabor e aroma de suco de uva premium

Sem conservantes e açúcar, linha de bebida sem álcool oferece as versões  Moscato, Merlot e Cabernet Sauvignon

Depois de romper preconceitos e conquistar o mercado de vinhos,  as tampas de rosca de alumínio, as screw caps, chegam às garrafas de vidro de sucos de uva premium, que ganham em conveniência e segurança de qualidade da bebida.

O diferencial faz parte do lançamento da Casa Madeira, empresa do Grupo Famiglia Valduga: uma linha sofisticada de suco nas versões Moscato, Merlot e Cabernet Sauvignon, em garrafas de 750ml.

Produzido no Vale dos Vinhedos, Rio Grande do Sul, com uvas viníferas, o suco nacional é composto por uvas finas e não contém açúcares, água ou conservantes, o que mantêm as propriedades naturais da fruta.

As tampas de rosca de alumínio favorecem a conservação do aroma e do sabor da bebida, já que o fechamento completo da garrafa impede a entrada de oxigênio, um dos principais causadores da perda de qualidade da bebida.

Latinha é destaque na estreia de Game of Thrones

Após gelar, latinha branca de refrigerante se transforma e mostra lista de personagens da série

Os potenciais da tecnologia de impressão aplicada na lata de alumínio permitiram que a Montain Dew oferecesse uma embalagem especial aos fãs da série Game of Thrones.

Para marcar a estreia da última temporada, a lata da marca de refrigerantes norte-americana traz a lista de inimigos da personagem Arya Stark, mas de forma inovadora.

A embalagem surpreende o consumidor. Ele leva para casa uma lata totalmente branca, produzida com tinta termocrômica, que após gelar traz a mensagem sobre a série.

SP ganha novos pontos de coleta de embalagens

 Com descarte, consumidor acumula pontos que geram descontos em consumo de luz, transporte e recarga de celular

Os consumidores da região metropolita de São Paulo agora contam com novos pontos de coleta de embalagens recicláveis. O descarte pode ser feito em sete máquinas Retorna Machines espalhadas por São Paulo, Guarulhos e São Bernardo do Campo, que recebem embalagens cartonadas, de alumínio, de aço e de PET.

Com o descarte, o consumidor acumula pontos que podem gerar descontos em conta de luz da Eletropaulo, crédito no Bilhete Único ou Cartão BOM, pontos no programa de fidelidade da livraria Saraiva (SaraivaPlus) e recarga de telefone pré-pago das operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM. Também é possível doar os pontos para instituições filantrópicas auxiliadas pela Triciclo (Projeto Arrastão, Casa do Zezinho e Fundação Fenômenos).

Para começar a pontuar e receber os créditos, o consumidor deve fazer o cadastro gratuito na Retorna Machine, pelo site www.triciclo.eco.br ou pelo aplicativo Retorna Machine disponível para IOS e Android. Nesses canais também é possível gerenciar a conta e os pontos acumulados, que possuem validade de 180 dias, contados do dia do acúmulo.

Depois, basta depositar as embalagens com o código de barras legível na máquina. Cada tipo de resíduo possui uma pontuação e cada conta triciclo pode depositar até 10 embalagens por dia. A partir do 11º resíduo no dia, os pontos são automaticamente doados para as Instituições Filantrópicas em igual proporção.

A iniciativa é das empresas Cargill, fabricante de produtos como o óleo Liza e molhos Pomarola, e Triciclo,  que cria e opera soluções para o desenvolvimento sustentável.


Onde encontrar as Retorna Machines:

Universidade Anhembi Morumbi – Unidade Mooca
Rua Dr. Almeida Lima, 1134 – Mooca
Das 6h às 23h

Estação de Metrô República – Linha Amarela
Praça da República, 299 – República
Das 6h às 00h

FMU – Unidade Taguá
Av. Liberdade, 899 – Liberdade
Das 6h às 23h

Makro Guarulhos
Rua Carlos Leal Evans, 252 – Jd. Santa Francisca
Das 7h às 22h

Makro São Bernardo do Campo
Rua Frei Damião, 355 – Paulicéia
Das 7h às 22h

Tenda Atacado Guarapiranga
Av. Guarapiranga, 900 – Vila Socorro
Das 7h às 22h

Tenda Atacado São Matheus
Av. Ragueb Chohfi, 1956 – Parque São Lourenço
Das 7h às 22h

Coelhos ganham vida em ovos de Páscoa

Imagens animadas de embalagens são projetadas no celular

Nesta Páscoa, os coelhos ganharam vida. Por meio do aplicativo “Páscoa Lacta”, disponível para sistemas Android e IOS, é possível assistir histórias com os personagens símbolos dessa época do ano. Basta baixar o app e aproximar o  celular da embalagem.

As imagens animadas estão nas embalagens dos Ovos Lacta, em todos os sabores de Bis, nas barras de chocolate Lacta 90 gramas e nas caixas Lacta Favoritos. Na projeção em realidade aumentada, uma “porta” se abre, levando o consumidor ao universo dos personagens e suas brincadeiras.

No Carnaval, Vá de Lata
 com o Porta dos Fundos



Ao escolher a lata,  foliões consomem bebidas em embalagem 100% reciclável

As vantagens de consumir bebidas em latinhas de alumínio no Carnaval é tema de dois vídeos do Porta dos Fundos. A esquete se passa em um bloco de Carnaval e a lata, interpretada por Rafael Infante, se mostra muito mais “atraente e sedutora” do que a garrafa de vidro, interpretada por Pedro Benevides, o Bené.

O roteiro foi criado baseado no fato de que a embalagem de alumínio é a mais reciclada do Brasil, com uma taxa de reciclagem de 97,3% no país, enquanto a garrafa tem um índice de cerca de 47%. Entre muitos motivos está o valor da sucata do alumínio ser 26 vezes maior que a do vidro, o que faz com que a lata, inclusive, subsidie a coleta de outros materiais.

Os vídeos fazem parte da campanha Quem curte natureza e diversão cai na folia de latinha na mão do movimento Vá de Lata criado pela Ball, fabricante de latas de alumínio, que tem o objetivo de divulgar os diferenciais da embalagem mais amiga do meio ambiente: as latinhas de alumínio.

“O nosso objetivo é aproveitar o momento do Carnaval, em que o consumo de lata aumenta, para propor uma reflexão sobre escolhas sustentáveis. Optando pela lata, o público consome a bebida preferida em uma embalagem 100% e infinitamente reciclável e que, se descartada corretamente, volta ao mercado em apenas 60 dias. Esse fato, inclusive, foi o que deu origem a uma das frases da campanha: “Me dá um amasso que eu volto em 60 dias”, explica Thais Moraes, gerente de comunicação da Ball América do Sul.

Onde descartar latinhas e embalagens longa vida?

Aplicativo para celular indica postos de coleta e cooperativas de reciclagem em todo o País

As latinhas de bebidas,  as descartáveis de alumínio e as cartonadas assépticas (longa vida) são 100% recicláveis. Mas como localizar os locais adequados para descartar essas embalagens para que realmente sejam reaproveitadas?

logo-RotaReciclagemHá 10 anos, a Tetra Pak, fabricante de caixinhas longa vida, oferece um  serviço aos consumidores que facilita a busca de  postos de coleta e cooperativas em todo o Brasil: a plataforma Rota da Reciclagem.

Este ano a Rota da Reciclagem ganhou a atendente virtual “Flora”, uma tecnologia desenvolvida para o aplicativo Messenger para celular, do Facebook, tornando a  busca ainda mais simples.

O consumidor só precisa abrir o aplicativo e procurar o Rota da Reciclagem. A partir daí a atendente virtual interage com o usuário, que deve compartilhar a sua localização e responder às perguntas formuladas, como por exemplo informar se pretende vender ou doar os seus materiais recicláveis.

Campeãs de reciclagem

No Brasil, em cerca de 30 dias, uma latinha de alumínio pode ser comprada no supermercado, utilizada, coletada, reciclada e voltar às prateleiras para o consumo. Há anos o Brasil destaca-se como líder mundial.

Mas o que faz da latinha de alumínio para bebidas ser a campeã em reciclagem? Vários fatores. Entre eles estão facilidade de coleta, transporte e venda, o alto valor da sucata de alumínio e a grande disponibilidade das latas de alumínio.

Longa vida para as cartonadas

O processo de reciclagem das cartonadas assépticas, conhecidas por longa vida, não produz matéria-prima para a produção de novas embalagens, como acontece com as latinhas. Mas o material reciclado é utilizado para produzir, por exemplo, telhas e paletes de plástico reciclado.

 

Embalagem descartável, de alumínio ou isopor?

Além  de praticidade na cozinha e conservação dos alimentos, embalagens de alumínio são as campeãs em reciclagem

Quais as vantagens das embalagens descartáveis de alumínio em comparação às de isopor? Além de serem infinitamente recicláveis, são as únicas capazes de proteger os alimentos contra a ação da luz, do oxigênio e da umidade, preservando o sabor, os nutrientes e a qualidade dos alimentos.

“E ainda resistem a todas variações de temperatura exigidas durante a utilização, desde o congelamento até o calor extremo do cozimento”, como lembra Cadu Migliorini, responsável pelo Marketing do Grupo Wyda. Propriedade que permite o uso das descartáveis no forno tradicional e no micro-ondas, podendo ser levadas diretamente à mesa.

“Descartáveis protegem os alimentos
e são 100% recicláveis”

Ao serem 100% recicláveis, as descartáveis de alumínio ajudam na sustentabilidade do planeta. Pratos, bandejas e formas de alumínio são facilmente destinadas ao lixo reciclável.

Assim como os demais produtos de alumínio, as embalagens usadas são separadas e compactadas para serem enviadas para a reciclagem. Ao consumidor, basta retirar o excesso da sujeira da embalagem com um guardanapo, por exemplo, e descartá-la corretamente no lixo para coleta seletiva.

Para informar o consumidor sobre essas vantagens, o fabricante de embalagens Wyda produziu o vídeo abaixo que destaca as embalagens de alumínio como aliadas dos consumidores preocupados com a preservação da natureza.

Alumínio evita contaminação e violação de medicamentos

Blisters preservam princípio ativo dos remédios durante o transporte, armazenamento e consumo

Antes de chegar às prateleiras das farmácias, os medicamentos têm um longo processo de pesquisa, regulação e produção. Parte importante dessa cadeia são as embalagens, que têm como objetivo preservar as características químicas e físicas do remédio durante o transporte, armazenamento e consumo, reforçando a segurança do consumidor.

Para isso, as embalagens de fármacos devem seguir uma série de exigências e determinações das industrias de origem e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os invólucros, por exemplo, são divididos em embalagens primárias, que mantêm contato direto com o medicamento (blister, ampola etc.), e embalagens secundárias, aquelas que envolvem a embalagem primária (caixa de papelão).

O blister de folha de alumínio é um dos principais tipos de embalagens primárias disponíveis para medicamentos e os motivos são variados. Além de o alumínio proteger os fármacos do contato com o oxigênio, calor e umidade, ele reduz os riscos de violação e contaminação, proporcionando também mais segurança, já que permite a impressão com os dados do lote ou data de validade do remédio.

Embalagens de medicamentos seguem exigências e determinações das indústrias de origem e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

Joao Bosco Zanin é químico Industrial de formação e proprietário da BlisterPack, empresa especializada em blisters de alumínio para a indústria farmacêutica. Há 17 no mercado, a empresa atende clientes como Pfizer e Eurofarma, e em seu carro chefe está a produção de blisters de alumínio que chegam a 15 toneladas por mês, 180 toneladas por ano.

Zanin explica que as folhas de alumínio de 21 micras de espessura são as mais utilizadas na produção de blisters no país. “A indústria envia as informações técnicas referentes aquele tipo de cartela que será produzida. O mais comum no Brasil são as cartelas a partir das folhas de alumínio de 21 micras de espessura. Depois de produzida, ela é entregue em bobina para o cliente”, finaliza. Na indústria, as cartelas são finalizadas e recebem o medicamento e os demais componentes necessários, como a bula e caixa secundária do produto.

No verão, alumínio é aliado no transporte de bebidas

Bolsas térmicas feitas com o material levam vantagem na manutenção da temperatura

No verão, o alumínio não serve apenas como embalagem para as bebidas, que gelam mais rápido quando envasadas em latinhas. Acessório indispensável para muita gente nesta época do ano, a bolsa térmica também vem em modelos que usam o material em sua composição.

A aplicação de uma camada de alumínio traz vários benefícios. Suas propriedades tanto refletoras quanto defletoras de temperatura incrementam a eficiência de uma bolsa térmica, tornando-a capaz de conservar substancialmente a temperatura de um alimento quente ou frio.

A Paru, de São Paulo (SP), conhece as vantagens das bolsas térmicas aluminizadas. A empresa vende unidades por encomenda e personalizadas e usa o alumínio principalmente em seu modelo “fitness”. “Mas usamos alumínio também para atender algumas necessidades especificas de cada projeto”, explica o diretor comercial Fernando Lopez.

“Propriedades refletoras e defletoras de temperatura do alumínio incrementam a eficiência de bolsa térmica”

“Posso afirmar que as bolsas com alumínio venderiam muito mais se o cliente conhecesse melhor sua eficácia. Muitos acabam por não dar importância à base técnica funcional da bolsa, mas há segmentos, o de laboratórios por exemplo, que operam de forma técnica, facilitando a aplicação do alumínio”, diz o diretor.

Outra empresa que aposta nas bolsas térmicas aluminizadas é a Pratize, de Londrina (PR). Atuando como um market place, fornece os produtos para revendedores de todo o Brasil. O modelo de 4,5 litros vem nas cores preta ou rosa, enquanto o de 11,5 litros é oferecido na cor azul.

“Bolsas térmicas de plástico já estão desgastadas”, diz Rodrigo Dias, coordenador de market place da Lazer Shop, responsável pela marca. Para ele, a grande vantagem do alumínio é sua capacidade de manter tanto o calor quanto o frio. “Quando os clientes descobrem isso, esse poder de segurar a temperatura, acabam comprando”, conta Dias. “Esse é um atrativo que modelos de outros materiais não oferecem.”

A Lazer Shop já vendeu cerca de 1500 bolsas com alumínio desde que entrou nesse mercado, há dois anos e meio.

Papel alumínio faz a diferença no preparo e sabor dos alimentos

Renomado chef de Fortaleza fala sobre a importância do material para a gastronomia

A utilidade do papel alumínio na culinária já é bastante conhecida por quem gosta de cozinhar. Mas, entre chefs profissionais, seu potencial vai além: trata-se de um utensílio extremamente valioso e de ampla aplicação.

Para entender o potencial do papel alumínio no dia a dia de uma cozinha profissional, o portal Embalagens de Alumínio conversou com o chef Rodrigo Viriato. Responsável por oito estabelecimentos em Fortaleza, no Ceará, ele é formado pelo The Culinary Institute of America, de Nova York, e tem especialização pela famosa escola de gastronomia francesa Le Cordon Bleu. Viriato mantém ainda um blog, uma coluna de gastronomia no jornal O Povo e é professor na Universidade Federal do Ceará.

O chef calcula que usa, por mês, quatro rolos de papel alumínio para uso profissional em cada um de seus restaurantes. “Para começar, o papel alumínio é fundamental nos papelotes (método de preparo que consiste em envolver o alimento com o material). Temos, por exemplo, uma entrada de tentáculos de polvo que primeiro é pré-cozida na panela de pressão e depois finalizada, no papelote, junto com vários vegetais e temperos”, explica o chef. Em sua cozinha, o prato de salmão com shimeji também é finalizado no forno dessa mesma forma.

img-int-mat-papel-aluminio-sabor

Viriato enumera didaticamente as vantagens do uso do material na cozinha. Para o chef, além da flexibilidade e resistência, o papel alumínio é mais fácil tanto para preparar quanto para apresentar o prato. Isso porque, uma vez pronta, a refeição fica visualmente mais adequada e o papel alumínio pode ser facilmente retirado. “O cliente vê o papel alumínio como algo limpo, que pode ser manipulado sem problemas”, garante.

E o uso do papel alumínio na gastronomia não se restringe aos papelotes. Viriato lembra, por exemplo, que é possível usar o material para cobrir um pirex, como uma tampa. Ao contrário do que se imagina, essa técnica não serve simplesmente para embalar a comida. “Quando faço isso, eu estou, na verdade, mudando o método de cocção do alimento. Ao cobri-lo, o que eu procuro fazer é manter a temperatura mais baixa dentro do papel alumínio”. O que, segundo ele, altera a cor, o odor e o sabor do alimento.

Para exemplificar essa técnica, mais conhecida entre profissionais, Viriato cita uma receita de lombo de porco. “Nesse caso, você colocaria o lombo em um pirex junto com os temperos. Sem o papel alumínio, a carne iria queimar e não assaria. Ao cobri-la com o papel alumínio, eu mudo o método de cocção. De assado, passa a ser um cozido no vapor. Quando usa esse método, o leigo acha que se trata apenas de proteger a carne do calor, mas na verdade ele está também alterando a atmosfera entre o alimento e o alumínio.”

Para completar, o chef ressalta também a possibilidade de, com o papel alumínio, preparar uma comida mais saudável. “Por exemplo, hoje eu dificilmente cozinho batatas na água. Eu enrolo elas no alumínio e coloco no forno. É um modo de manter as propriedades da batata ao invés de perdê-las na água”, ensina Viriato.