Realidade aumentada dá ‟vida” às embalagens

Comunicação digital permite interação com o consumidor, mas aplicação exige viabilidade técnica

As embalagens ganham ‟vida” com a aplicação da realidade aumentada (RA), com a qual é possível , por meio de um aplicativo mobile, apontar para uma imagem e exibir conteúdo em telas de smartphone ou tablet. São animações em 2D ou 3D, vídeos, hologramas, infográficos e até mesmo games temáticos sobre o produto.

A RA é um diferencial que gera curiosidade e benefício ao consumidor. A embalagem pode exibir características do produto, orientações de uso e descarte, promoções e campanhas de marketing.

Uma embalagem que vem sendo inovada por meio da tecnologia que permite ao consumidor interagir com o produto é a lata de alumínio, principalmente as de refrigerante. No últimos anos, as marcas têm apostado na ferramenta para o lançamento de edições comemorativas.

 

‟RA é diferencial importante, mas adoção nem sempre é viável”

A Pepsi, por exemplo, durante a Copa do Mundo de 2014, lançou no mercado europeu uma lata que permitia ao consumidor participar de um jogo interativo de futebol com craques de seleções. Bastava baixar um aplicativo e escanear a lata pelo celular. A lata da  Coca-Cola Zero, em uma edição especial do Rock in Rio 2013, atraiu o consumidor trazendo ritmos de música na embalagem.

A inovação traz uma forma eficiente de comunicação com os consumidores, porém o desenvolvimento da embalagem exige detalhada avaliação técnica para alcançar os resultados esperados. Segundo Marcelo Rodino, diretor de criação e sócio da Flex Interativa, empresa especializada em soluções digitais, a leitura da imagem em 3D, por exemplo, pode ser prejudicada pelo excesso de reflexo.

Apesar de defender as possibilidades infinitas da RA, Rodino alerta  que  em alguns casos de embalagens já consagradas a aplicação do recurso pretendido pela marca é inviável tecnicamente, o que acaba frustrando o cliente.

‟Nem todas embalagens funcionam no caso da RA. A tecnologia digital é um diferencial importante, mas devemos lembrar que a criação de uma embalagem de comunicação eficiente não deve ser alterada apenas com o objetivo de atender os requisitos das inovações tecnológias”, conclui.

Assadeira de 140ml amplia linha de descartáveis

Wyda lança formato grande de assadeira de alumínio para empadas, cupcakes e quindins

A Wyda está com novo produto no mercado de embalagens descartáveis de alumínio. A linha de assadeiras da empresa agora inclui o produto “Empada Grande”, com volume de 140ml, além das já disponíveis de  45ml e 100ml.

“Assim como as demais assadeiras descartáveis de alumínio Wyda, as empadas também podem ir ao forno convencional, elétrico e microondas. Seu material, além de não oferecer risco de contaminação ao alimento, permite a reciclagem infinita, já que o alumínio não perde suas características neste processo, afirma Cadu Migliorini,  responsável pelo marketing da empresa.

As novas assadeiras são dispostas em duas torres no interior do pacote, garantindo que o produto fique “de pé” nas gôndolas, com janela para visualização. Na opção a granel, voltada à comercialização de grandes quantidades a preço mais competitivo, embalagens  sem impressão protegem o produto até chegar ao cliente.

Os produtos são acondicionados em caixas de embarque com 1000 unidades no caso do formato pequeno e 500 unidades no média e grande. Além do preparo de empadas, as assadeiras também podem ser usadas para cupcakes, quindins e outras receitas.

 

Latinhas de alumínio são Vencedoras Ouro

Prêmio Abre 2018 reconhece inovação de embalagens das marcas Ypióca e Tônica Prata

O Prêmio Abre da Embalagem Brasileira 2018, promovido pela Associação Brasileira de Embalagem, reconheceu duas inovações em design, desenvolvidas para latas de alumínio para bebidas, das marcas Ypióca e Prata como Vencedoras Ouro.

A agência FutureBrand São Paulo foi premiada pela embalagem desenvolvida para a Ypióca São João. Aproveitando a sazonalidade da festa de São João, a marca lançou no Nordeste uma série de latas colecionáveis ilustradas com criações de artistas regionais. A ideia resultou em ilustrações com diferentes cores, traços e inspirações, resultando em uma coleção visualmente diversa. Para a impressão das latas foi selecionado o método de coprodução que consiste no compartilhamento de um foil para quatro impressões diferentes, permitindo a otimização de tempo, custos e recursos.

img-int-mat-ypioca

A OZ Estratégia + Design venceu pelo desenvolvimento do rótulo para o relançamento da Tônica Prata. Adequando-se ao novo uso na preparação de drinques, a lata foi desenhada, com militragem reduzida,  para se adequar ao volume da dose a ser utilizada. As cores da categoria foram mantidas e a impressão em verniz fosco valoriza o design e traz sofisticação. E a solução visual – uma letra identificando cada produto – dá um caráter icônico à embalagem.

img-int-mat-soda-prata

 

Inovação potencializa sustentabilidade da latinha de alumínio

Cervejaria dinamarquesa substitui teia de plástico por cola especial para agrupar latas comercializadas na Europa

Mais uma inovação em embalagem promete potencializar as vantagens das latas de alumínio para bebidas em relação à reciclagem. Além de usar as latinhas 100% recicláveis, a cervejaria dinamarquesa Carlsberg adota uma  nova forma de comercializar a bebida, numa tentativa de reduzir até 76% o plástico utilizado nas embalagens.

Para isso, a Carlsberg substituiu as embalagens de plástico por uma cola especial que dispensa a tradicional teia de plástico utilizada para reunir as latinhas que são vendidas em conjunto.

Segundo a empresa, a cola perde sua propriedade adesiva depois que as latas são separadas e o produto não grude na mão. As seis latinhas grudadas ainda têm uma pequena alça de plástico, para facilitar o transporte.

A nova embalagem,  chamada Snap Pack, foi lançada no Reino Unido e na Noruega e deve achegar a outros países onde a cerveja Carlsberg é distribuída.

ABAL oferece curso gratuito de reciclagem de alumínio

Evento será transmitido via web em 29 de outubro

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL ) oferece o curso WEBINAR Reciclagem de Alumínio: Cenário, Processo e Perspectivas, com o objetivo de apresentar um panorama dos aspectos sociais e econômicos da reciclagem de alumínio e processo de reciclagem e produção de alumínio secundário.

Dirigido a profissionais e estudantes de nível técnico, engenharias e meio ambiente, o curso é gratuito e será transmitido ao vivo via web, com total interatividade.

DATA: 29 de outubro de 2018
HORÁRIO: das 14h às 16h

Inscreva-se aqui.

Especialistas destacam o potencial de reciclagem do alumínio

8o Congresso Internacional do Alumínio debate a participação das embalagens na economia sustentável

Flexibilidade, praticidade, proteção e sustentabilidade. Essas foram as propriedades do alumínio destacadas por palestrantes no painel Embalagens do 8o Congresso Internacional do Alumínio, promovido pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), de 3 a 5 de setembro, em São Paulo.

 

Além do alumínio favorecer o desenvolvimento de novas embalagens, oferecer comodidade e segurança ao consumidor, o potencial de reciclagem do metal foi destaque. Ao abordar o tema Tendências de Embalagens, Naira Sato, diretora de Categorias Mintel, apresentou dados estatísticos que reforçam a importância do alumínio para o desenvolvimento de embalagens que atendam as demandas do consumidor que prioriza a sustentabilidade.

 

Ao ressaltar que a reciclagem é a peça chave da economia circular, Sato, especialista em análise e pesquisa de mercado, afirmou que 94% dos consumidores globais querem reciclar e valorizam produtos recicláveis e reciclados. E 78% valorizam a embalagem que traz a mensagem reciclável ou produzida com produtos recicláveis.

 

As latas de alumínio, por exemplo, foram citadas como as mais utilizadas para bebidas – alcoólicas, refrigerantes, sucos -, devido à possibilidade de criar embalagens de diferentes formatos e tamanhos, à comodidade oferecida ao consumidor e ao alto potencial de reciclagem. Como exemplo, Sato citou o caso das cervejas artesanais dos Estados Unidos, mercado no qual cresce o uso das latas de alumínio, embalagens anteriormente consideradas “não-artesanais” e incompatíveis com o volume de produção das microcervejarias.

 

Café sustentável

A também palestrante Claudia Leite, Coffe Ambassador América Latina Nespresso, ressaltou a importância de a marca optar pelas cápsulas de alumínio como embalagem das doses individuais de café. Somada à proteção do sabor e aroma da bebida, o alumínio destaca-se entre os demais materiais por ser 100% reciclável. Uma propriedade que, segundo Leite, atende às políticas sustentáveis adotadas pela marca.

Ao lembrar que a reciclagem do alumínio consome 95% menos energia do que a produção de alumínio virgem e 75% do metal produzido no mundo ainda está em uso, Leite destacou a importância de ampliar a quantidade de cápsulas recicladas. No Brasil, em 2016, ano de chegada da marca, 8,6% das cápsulas foram recicladas; em 2017, o volume passou para 13%; e em 2018 a marca já registra 17%.

A Nespresso tem como meta a reciclagem de 75% das cápsulas de alumínio, que são entregues pelos consumidores em 71 pontos de coleta espalhados pelo País.

 

China impulsiona produção mundial de folhas de alumínio

Diretor geral da GLAFRI apresenta dados da representatividade do país asiático, em encontro internacional da ABAL

A demanda por alumínio para embalagens vem crescendo continuamente, e os mercados emergentes são os principais responsáveis por isso. Stefan Glimm, diretor geral da GLAFRI (Global Aluminium Foil Roller Initiative), explicou detalhadamente esse cenário em sua apresentação na ExpoAlumínio 2018, promovido pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL). No evento, realizado em São Paulo entre os dias 3 e 5 de setembro, ele mostrou como a China é, hoje, a maior responsável por impulsionar o uso de folhas de alumínio no mundo.

Os números compartilhados por Glimm mostram que 2018 deve fechar com uma demanda total de seis mil toneladas do material. Pouco mais da metade deste volume deverá suprir as necessidades do país asiático.

Além de representar 52% da demanda mundial por folhas de alumínio, a China também é, de longe, seu maior produtor: responde por 64,5% da produção. Em segundo lugar, a Europa detém 16,5% da produção, enquanto todo o restante da Ásia tem 8,3% de participação.

Quando a avaliação é feita levando em conta o consumo per capita de folha de alumínio, a China mais uma vez lidera o crescimento mundial. Passou de 1,44 kg per capita em 2014 para 1,61 kg per capita em 2017. A Coreia do Sul também cresceu nesse índice – de 1,74 para 1,90 -, enquanto a Índia registrou um pequeno aumento de 0,11 para 0,12. O Brasil, neste período, teve queda de 0,47 para 0,42.

“China destaca-se no quesito consumo
per capita de embalagens de alumínio”

A China, entretanto, ganha ainda mais destaque no quesito consumo per capita de embalagens de alumínio: cresceu de 0,59 kg em 2014 para 0,91 em 2017. No Brasil, houve ligeira queda de 0,36 para 0,35 no período.

A GLAFRI é uma associação global com a missão de prover informações, coordenar ações em sustentabilidade, promover inovações e assim apoiar o crescimento do mercado de folhas de alumínio.

“O mercado, os consumidores, querem respostas. Querem saber se a folha de alumínio é sustentável, e precisam receber a mesma resposta seja na Europa, na China ou no Brasil. Por isso, precisamos passar globalmente nossa mensagem”, disse Glimm à plateia. “Respostas diferentes, diferentes maneiras de comunicar, trazem problemas. Se você tem uma nova tecnologia de reciclagem no Brasil ou na Europa, deve compartilhá-la“.

Vencedores do Troféu Alufoil são conhecidos na ExpoAlumínio

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) promove premiação internacional pela primeira vez no Brasil

Um selo que mantém a integridade do produto durante processo de envase e resfriamento. Folhas que permitem moldar a embalagem, além de preservar o seu conteúdo – uma bebida – por mais tempo em temperatura ambiente. E uma lâmina que evita a contaminação de material coletado para exames. Estas foram as soluções premiadas na edição brasileira do Troféu Alufoil. O resultado foi anunciado durante a ExpoAlumínio 2018, a maior feira do gênero na América Latina, promovida pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), no início de setembro, em São Paulo.

O Troféu Alufoil destaca projetos de embalagens inovadoras que utilizam folhas de alumínio em laminados, na estrutura ou em seu sistema de fechamento. Trata-se de uma premiação internacional, de grande tradição na Europa, onde é promovida pela European Aluminium Foil Association (EAFA), com apoio da Global Aluminium Foil Roller Initiative (GLAFRI). Há dois anos, a competição ganhou uma versão chinesa, uma vez que a China é hoje o maior produtor de alumínio e de produtos feitos com o metal. E, graças a uma parceria entre a ABAL, a EAFA e GLARI, o Troféu Alufoil passou a ter, a partir deste ano, uma edição brasileira.

“A chegada do Troféu Alufoil ao Brasil é um reconhecimento ao segmento de embalagens, o setor que mais consome alumínio em nosso país”, explica Milton Rego, presidente executivo da ABAL. A entidade, por meio de seu Comitê de Embalagens, se encarregou da organização e julgamento dos trabalhos inscritos e aproveitou a realização da ExpoAlumínio para divulgar os vencedores.

Esta primeira edição contou com a participação de Stefan Glimm, diretor geral da GLAFRI, que contribuiu com sua experiência na realização da edição europeia da premiação. “Fiquei realmente impressionado com a qualidade dos trabalhos inscritos e com o potencial de inovação apresentado pelos vencedores brasileiros”, destacou. “Quero também elogiar o profissionalismo da ABAL na organização da competição. Trata-se de um passo importante na promoção do uso das folhas de alumínio e para o crescimento desse segmento do mercado no país.”

O Troféu é dividido em três categorias. Na categoria Proteção ao Produto o ganhador foi o Selo Wave, da empresa Flexoprint. Em Marketing, Design e Conveniência do Consumidor a solução escolhida foi a embalagem do produto Danoninho para Levar, desenvolvida pela Diadema Embalagens. E na categoria Eficiência de Recursos e Inovação o destaque ficou com a Lombardi Metais e o seu projeto que utiliza lâminas de alumínio para a coleta e acondicionamento de fios de cabelo em exames toxicológicos.

“Um prêmio de renome internacional como o Troféu Alufoil é o reconhecimento da tecnologia, know how e dos serviços que oferecemos ao mercado”, diz Antonio Adão Parra, diretor comercial e de suprimentos da Embalagens Flexíveis Diadema. “O Selo Wave se utiliza de uma característica intrínseca do alumínio, de se expandir multilateralmente, sem retorno”, explica o engenheiro de alimentos Sérgio Romeiro. “O Troféu Alufoil coroa o esforço da Flexoprint em buscar soluções como essa, que melhoram a qualidade das embalagens de alimentos e permitem a redução de seus custos de produção”.

Gianpaolo Lombardi, da Lombardi Metais, conta que o Troféu Alufoil é a recompensa por quatro anos dedicados ao desenvolvimento de um projeto nascido a partir do pedido de um grande laboratório norte-americano. “Resolvi participar do prêmio com o objetivo principal de divulgar a maneira como chegamos à solução”, relembra. Solução que destaca a versatilidade das folhas de alumínio e que mostra a competitividade da indústria nacional no segmento.

 

Embalagens Premiadas no Troféu Alufoil 2018

img-mat-alufoil-flexoprintCategoria Proteção ao Produto: Selo Wave
Empresa: Flexoprint

Solução: embalar um suco em alta temperatura permite reduzir ou, muitas vezes, eliminar o uso de conservantes. Feito de folha de alumínio, o Selo Waze faz o fechamento do copo de suco permitindo seu envase a quente e posterior resfriamento, garantindo a integridade de toda a embalagem.

img-mat-alufoil-diademaCategoria Marketing, Design e Conveniência do Consumidor: Danoninho para Levar
Empresa: Diadema Embalagens Flexíveis

Solução: o uso de folhas de alumínio na embalagem do Danoninho para Levar, graças às qualidades de proteção que oferecer, permite conservar o produto – um petit-suisse – por até cinco horas fora da geladeira.

img-mat-alufoil-lombardiCategoria Eficiência de Recursos e Inovação: Folhas de Alumínio
Empresa: Lombardi Metais

Solução: folhas de alumínio, com espessura de 0,05 mm, muito usadas em embalagens, foram a solução encontrada pela Lombardi Metais para atender um laboratório de exames interessado em padronizar e acondicionar com segurança mostras de cabelo destinadas à análise.