Cápsulas de café de alumínio chegam aos supermercados

Compatíveis com as máquinas de café Nespresso, monodoses da marca francesa L’OR oferecem os benefícios do alumínio para garantir qualidade premium

O crescimento do café em cápsulas tem impulsionado o desembarque que novas marcas internacionais no mercado brasileiro. Entre os últimos lançamentos está o da JDE, líder no segmento de cápsulas compatíveis a máquinas de café Nespresso, que este ano passa a ser a primeira produtora a trazer cápsulas de alumínio para as gôndolas de supermercados, através da sua marca L’OR.

“A nova cápsula de alumínio L’OR Espresso proporciona mais aroma, intensidade e uma espuma mais rica”, garante Lara Brans, presidente da JDE Brasil. Segundo dados divulgados pela Nespresso, estudo publicado por Chahan Yeretzian, da Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique, na Suíça, concluiu que as cápsulas de alumínio são as melhores para preservar o frescor e o aroma do café durante o prazo de validade de um ano.

Detentora das marcas Pilão, Pelé Graníssimo e L’OR, a empresa aposta no aumento de consumo da bebida premium pelos apreciadores de café espresso. De acordo com as expectativas da ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café), o segmento de monodose tende a triplicar nos próximos quatro anos. “A estimativa para 2019 é de que as vendas de cápsulas movimentem algo em torno de R$ 2,96 bilhões”, informa Brans.

“Mercado brasileiro de cápsulas deve movimentar cerca de R$ 2,96 bilhões em 2019”

Outro levantamento que confirma o crescimento de consumo das monodoses é o “Coffee Global Anual Review”, realizado em janeiro de 2017 pela Mintel, agência global de Inteligência de Mercado. A pesquisa mostra que o público jovem prefere bebidas personalizadas. Na parte da manhã os jovens buscam um café “de alta energia” e, à tarde, uma opção da bebida com menos cafeína. E 71% dos brasileiros querem mais opções de cafés premium e de alta qualidade.

“As cápsulas de L’OR Espresso são produzidas com grãos cuidadosamente selecionados e 100% certificados pelo programa UTZ Certified, que confere a garantia da sustentabilidade em toda cadeia produtiva. A produção está centralizada na França, na fábrica localizada na cidade de Andrezieux Boutheon, em Loire, seguindo o mais alto padrão de qualidade para oferecer um café premium”, conclui a presidente da JDE Brasil.

Importadas da França, as cápsulas de alumínio L’OR podem ser encontradas nos supermercados em embalagens de papel cartão de 10 unidades cada, sendo uma delas disponível também em embalagem de 20 unidades.

Lata de alumínio acompanha evolução da cerveja artesanal

Novos rótulos em latinhas dividem gôndolas dos supermercados com as tradicionais garrafas de vidro

De acordo com dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em 2016, o número de cervejarias artesanais cresceu 39,6%. Hoje a produção da categoria é estimada em 124 milhões de litros por ano. E a expectativa é que esse percentual aumente para 9% até 2022.

Esse cenário de expansão vem incrementando o uso da lata de alumínio para bebidas, em substituição às tradicionais garrafas de vidro originalmente adotadas pela produção artesanal. Ao lançarem novos rótulos, os fabricantes estão optando pela latinha, como é o caso da Cervejaria Pratinha, com sede em Ribeirão Preto (SP). A empresa acaba de lançar cervejas artesanais em latas de 473 ml. Os dois primeiros rótulos são a Pratipa e a Darkmoon.

“Participação da bebida artesanal no mercado cervejeiro pode dobrar em cinco anos”

Em dezembro de 2015, a cervejaria Dádiva, localizada em Várzea Paulista (SP), lançou seu primeiro rótulo, Venice Beach de 350 ml, com a nova embalagem. Em fevereiro de 2016, foi a vez da marca de cervejas artesanais Dona Mathilde Beer, de Itatiba (SP), lançar a German Premium Lager, cerveja gourmet,  em lata de 350ml.

Desde o início de 2017, as garrafas de vidro das cervejas artesanais Birits, Cacildis, Ditriguis e Forévis tiveram que abrir espaço nas gôndolas dos supermercados para as novas embalagens de alumínio de 350ml, que trazem o estilo descontraído da cervejaria Ampolis, inaugurada no Rio de Janeiro em 2013 em homenagem ao músico e humorista Mussum, o brasileiro Antônio Carlos Bernardes Gomes.

Em junho, foi a vez das cervejas catarinenses Schornstein Imperial IPA Schornstein Soul começarem a ser comercializadas em latinhas de 473 ml e 350ml.

Esses são alguns lançamentos que demonstram o crescimento do uso da lata de alumínio no segmento das cervejas artesanais, que promete dobrar sua participação no mercado nacional nos próximos anos. “Hoje, o Brasil é o terceiro mercado de cerveja no mundo. O segmento artesanal representa 1,5%. Mas a estimativa é que chegue a 3% em cinco anos. A mesma coisa vale para as cervejarias. O crescimento está muito acelerado. Hoje, nós temos 400 lojas de cervejarias no país, e a expectativa é que em cinco anos esse número dobre, chegando a 800 unidades”, afirma o diretor do Mestre-Cervejeiro.com, Daniel Wolff.

Tampas valorizam as stand-up pouche

Soluções inovadores e práticas destacam embalagens flexíveis nos pontos de venda

As stand-up pouche vêm conquistando o mercado brasileiro devido a diferenciais como a garantia de longo prazo de validade dos produtos, já que são compostas por alumínio, praticidade na hora de consumir bebidas e alimentos, facilidade de logística de transporte e ainda por ocupar menos espaço nas gôndolas dos supermercados.

Com crescimento previsto de 6,4% em 2017, apenas na América Latina, as stand-up pouche ganham maior destaque ao receberem variadas tampas que permitem fácil abertura e fechamento, agregando valor aos produtos.

“Essas soluções atendem à demanda dos consumidores finais, de produtos alimentícios em geral, que buscam mais conveniência ao abrir e refechar a embalagem. As tampas, comparadas ao zíper por exemplo, oferecem mais facilidade e qualidade. Elas mudam a percepção do consumidor em relação às stand-up pouche, que muitas vezes é percebida apenas como refil, quando a embalagem não possui tampa”, explica Ana Toledo, gerente de desenvolvimento regional de mercado Food + Beverage da Aptar no Brasil.

img-int-standup-pouch

A Aptar oferece tampas flip-top para stand up pouches como a Quick Flip, tampa de uma peça flip-top para produtos líquidos, pastosos ou secos. E a EZ Pour, de boca larga para produtos secos.

Esses sistemas de dispensadores estarão entre as inovações que a empresa levará à feira Drinktec 2017, em Monique, Alemanha, de 11 a 15 de setembro. Segundo a gerente, serão apresentadas novidades que chegarão em breve ao mercado brasileiro, como “soluções para água mineral de grandes volumes, tampas em peça única e inovações sem partes descartáveis, uma das fortes demandas do mercado de bebidas e alimentos”.