Alumínio garante diferenciais de iogurtes

Aliados do mercado de iogurtes, selos e tampas de alumínio favorecem segurança e inovações tecnológicas

O alumínio está presente no mercado de iogurte, cujos segmentos grego e líquido registraram um aumento de consumo de 3,7% e 2,7%, respectivamente, segundo dados da Kantar Worldpanel de 2015, devido às propriedades dos selos e tampas produzidos com o metal, que agem como protetores de bebidas lácteas e favorecem o desenvolvimento de novas tecnologias.

Para embalagens de iogurte, o selo pré-cortado de alumínio é o mais indicado por oferecer rigidez, resistência térmica, boa condução térmica, excelente qualidade de impressão e boa ductibilidade, segundo Pablo Sebrian, executivo da área de P&D da empresa de embalagens Bemis.

img-interna-iogurte

Mesmo a embalagem sendo de plástico, o alumínio é um diferencial para a segurança e conservação do alimento. “Porque em alguns casos, dependendo da necessidade de barreira do produto – umidade, oxigênio, luz -, o alumínio torna-se uma matéria-prima essencial, por ser considerado o substrato que oferece melhor barreira”, explica Sebrian.

Além de segurança e conveniência, a versatilidade do alumínio auxilia no lançamento de inovações como o design de tampa adotado por produtoras de lácteos japonesas. A tecnologia desenvolvida pela Toyo Aluminium evita o desperdício do iogurte porque impede que a bebida fique aderida à tampa.

A  tampa de alumínio não aderente, Toyal Lotus, foi inspirada na estrutura da folha de lótus, que repele a água da chuva. Segundo os pesquisadores, na lótus, o ângulo de contato entre a folha e a borda da gota d’água é de cerca de 150 graus, o que impede a retenção de água. A partir dessa descoberta, os japoneses projetaram uma superfície de tampa com ângulo de 170 graus.

Em vídeo postado no YouTube, um consumidor mostra o efeito da nova tecnologia

 

Retortables ganham destaque nas gôndolas

Embalagens retortables flexíveis garantem vida longa a alimentos prontos e promovem marcas

Ideais para a aplicação do processo retort, esterilização em autoclave, as embalagens de alimentos retortables flexíveis vêm disputando cada vez mais espaço com as tradicionais latas nas gôndolas dos supermercados.

img-interna-retortables-01

Com estrutura composta por cerca de 20% de folha de alumínio, as também conhecidas como retort pouch surgiram em 2010 no envase de molhos, e hoje embalam comidas prontas, food baby e vegetais.

“Diferenciais devem impulsionar substituição da lata pela indústria alimentícia”

De acordo com Karla Barrios, especialista de Marketing da Bemis, fornecedora  de embalagens para a indústria alimentícia, esse  tipo de embalagem é comum e mais utilizada no exterior, devido ao hábito de consumo de comidas prontas.

Apesar de não dispor de números, devido à utilização recente das retortables, Karla projeta tendência de crescimento no Brasil, ao destacar  as vantagens oferecidas tanto para a indústria quanto para o consumidor.

Entre elas, a executiva da Bemis destaca a logística (mais leve e de menor volume, ocupa menos espaço no transporte e armazenamento), maior facing (exposição da marca na gôndola), conveniência (leveza e de abertura mais fácil e segura, em comparação à lata).

Laminadas, finas e flexíveis, as retortables oferecem alto desempenho em barreira de umidade, luz e gases, selabilidade, flexibilidade e resistência térmica e a impacto, aumento de vida útil do alimento e excelente superfície de impressão.

Soluções originais

Diferenciais do alumínio permitem criação de embalagens inovadoras para alimentos e bebidas

A versatilidade e as vantagens práticas da folha de alumínio permitem o desenvolvimento de novas soluções que aprimoram o desempenho, o impacto visual e a sustentabilidade das embalagens de alimentos.  O concurso Alufoil Trophy 2016 revelou inovações que confirmam as infinitas possibilidades de aplicação do alumínio.

img-solucoes-originais-interna-01

O prêmio da categoria de Excelência Geral ficou para a embalagem Refilly, desenvolvida pelo grupo finlandês  Huhtamaki Embalagens Flexíveis, para o café italiano Illy. Trata-se de um refil pouch cilíndrico de laminados de aluminio, produzido sob medida para encaixar facilmente na lata de 250g do café Illy. A embalagem flexível pesa menos de 20g, é fácil de abrir, mantém intactos sabor e aroma e reduz em 80% o envase nas latas.

 

img-solucoes-originais-interna-02

A criatividade das novas 65 ideias inscritas no prêmio pode ser exemplificada com embalagem All In One Fondu do  fondue de queijo suíço Emmi. O conceito oferece preparação fácil, rápida e limpa. Traz o creme de queijo pronto em recipiente que pode ser aquecido no forno tradicional ou micro-ondas. Depois de aquecer, basta mantê-lo quente sobre uma base de réchaud. A aplicação do alumínio em embalagem semirrígida e na tampa selante possibilitou uma solução que oferece conveniência ao consumido: preparação fácil, rápida e limpa.

 

img-solucoes-originais-interna-03

Entre os dez vencedores também foi destaque a embalagem pouch de alumínio desenvolvida para o shake de proteínas EZY Pro 10, fabricada pela Ampac.  A embalagem cumpre os requisitos para atender às necessidades dos atletas, que precisam aliar de complementação nutricional segura e praticidade.  A embalagem superleve e hermeticamente fechada contém apenas a proteína em pó. Basta o consumidor adicionar água, através de um bocal de 21 mm de largura, e agitar antes de beber.  Além de leveza, o alumínio preserva a consistência da proteína e mantém todas as propriedades nutricionais da bebida.

Fácil de abrir

Tampa easy open de alumínio dispensa o uso de abridor de latas e evita corrosão em embalagens de alimentos

O abridor de latas já pode ser considerado um utensílio em extinção na cozinha do consumidor que busca conveniência na abertura de embalagens de alimentos. Isso porque a tampa easy open permite a abertura através de um anel de alumínio, um sistema simples que, além de praticidade, evita acidentes.

img-facil-de-abrir-interna-02b

 

Dependendo do tipo de alimento, as easy open apresentam formatos diferentes de abertura, o que facilita na hora de retirar o alimento da lata e servi-lo em outro recipiente, ou mesmo consumi-lo diretamente na embalagem.

As vantagens, segundo Fernando Wongtschowski, gerente de Marketing da Novelis, fazem com que a indústria alimentícia utilize a solucão para embalar diferentes produtos: carnes, patês, alimentos para cães e gatos, leites e queijos.

“Easy open de alumínio: praticidade, segurança e resistência à corrosão”

A easy open produzida com alumínio permite uma abertura mais suave, evitando acidentes, e tem resistência à corrosão, o que vem causando a substituição do uso do aço, materia-prima original desse tipo de embalagem, no mercado internacional.

Na América Latina, o alumínio ainda é pouco utilizado, mas nos países europeus o material é encontrado em 40% das latas de alumínio e a tendência é de crescimento, de acordo com Wongtschowski.

img-facil-de-abrir-interna

Nos supermercados, o consumidor brasileiro encontra diferentes alimentos importados da Europa e dos Estados Unidos embalados em latas com easy open de alumínio, como carnes, pescados e vegetais. Nas gôndolas de pet food nacional, embalagens da linha de alimentos para gatos da marca Purina fazem a diferença nesse segmento.